Parlamento pretende gastar R$ 257 mil para adquirir versão mais cara do produto

Deputados da Assembleia Legislativa de Minas Gerais terão à sua disposição o sonho de consumo de muitos brasileiros. O iPad 2, tablet da Apple, será entregue aos parlamentares a partir de novembro deste ano, informou ao iG o diretor de Planejamento e Coordenação da casa, Alaor Messias Marques Júnior. A ideia de comprar os equipamentos surgiu, segundo ele, dentro de um “esforço de planejamento estratégico”, por determinação da Mesa Diretora e sem consulta aos parlamentares.

Leia mais notícias no iG Tecnologia

A Assembleia pretende gastar R$ 257 mil para adquirir a versão mais cara do produto: 64 GB de memória, Wi-Fi e 3G, além de capa protetora da marca Apple e garantia estendida de três anos. Cada produto sai ao preço de R$ 2.600, mais o valor adicional da garantia e dos acessórios. O preço é o mesmo para qualquer consumidor comum. A data da compra está marcada para o próximo dia 23.

iPad, em sua segunda versão lançada em 2011, domina o mercado de tablets
Getty Images
iPad, em sua segunda versão lançada em 2011, domina o mercado de tablets
A Assembleia mineira possui 77 deputados, mas a casa legislativa irá adquirir 90 unidades do tablet da Apple, além de dois scanners de mão e outros seis computadores da Apple (dois Mac de 21,5 polegadas, um Apple de 27 polegadas, um MacBook de 17 polegadas e dois iMac de 21,5 polegadas).

Alaor Messias diz que os 13 tablets que excedem o número de parlamentares serão destinados a técnicos que trabalharão em assistência e desenvolvimento de aplicativos para uso dos deputados. A intenção também é de, no futuro, desenvolver aplicativos da Assembleia mineira para qualquer usuário da loja iTunes, que disponibiliza mundialmente ferramentas aos portadores de produtos Apple, como iPhone, iPad e iPod.

Com o tablet, os deputados poderão ter acesso ao clipping com notícias de Minas Gerais, que hoje reúne cerca de 100 páginas diárias impressas, além da agenda da casa e a legislação estadual. O diretor de Planejamento e Coordenação diz que a iniciativa irá proporcionar economia de papel. Ele não soube precisar, entretanto, quanto será economizado. O deputado mineiro poderá levar o iPad em viagens, mas, quando terminar seu mandato parlamentar, precisará devolver o equipamento, já que ele será registrado como patrimônio da assembleia.

Minas Gerais possui uma fábrica de tablets em Betim , cujos produtos foram disponibilizados para a polícia paulista por meio de licitação. Questionado sobre o motivo de a assembleia ter optado pela Apple, e não por uma empresa mineira que produz equipamento semelhante, Alaor Messias disse que “o iPad se mostrou a ferramenta mais acessível”. “Vivemos este dilema o tempo todo, entre comprar soluções de mercado ou desenvolver uma solução própria. O tempo para se desenvolver ferramentas contou na decisão”, explica ele.

A compra dos tablets uniu oposição e situação. A compra dos tablets reúne opiniões convergentes. O líder do governo, deputado Luiz Humberto (PSDB), já usuário do iPad, diz ser "positivo a Assembleia equipar os gabinetes dos parlamentares para que eles possam se atualizar com as tecnologias mais modernas no mundo". O deputado do bloco de oposição André Quintão (PT) também considera boa a aquisição dos equipamentos. "Tudo que vem para modernizar o mandato parlamentar é positivo", diz ele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.