Argello nega ter dito que há margem para aumentar salário mínimo

Áudio da fala de relator do Orçamento 2011 vazou durante encontro no Planalto; segundo senador, ele apenas questionou ministro

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O relator do Orçamento de 2011, senador Gim Argello (PTB-DF), afirmou nesta quinta-feira à noite que apenas questionou o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, sobre a possibilidade de o governo aumentar “um pouquinho” o valor fixado para o salário mínimo, de R$ 540, no próximo ano.

Durante reunião fechada com o conselho político da Presidência, Argello admitiu que haveria margem para que o salário mínimo chegasse a R$ 570. A declaração foi feita após o vazamento do áudio de parte da reunião, realizada no Planalto. No áudio, é possível ouvir o senador dizendo que, apesar da possibilidade de o mínimo ser elevado até “bater perto dos R$ 700”, muitas prefeituras reagiriam alegando não ter possibilidade de pagar seus funcionários.

Após a reunião, ele explicou o que tentou dizer na conversa. Disse que, em dada altura da reunião, apenas questionou, e não afirmou, ao ministro do Planejamento sobre a possibilidade de o benefício ser fixado num valor maior do que os R$ 540 propostos.

“Perguntei para o Paulo Bernardo, que vai se reunir amanhã com as centrais sindicais, ‘tem margem para aumentar um pouquinho?’ Sou do PTB e sou a favor do aumento do salário mínimo. Quero que aumente um pouquinho, mas eu não sei. Eles (governo ) têm que mandar a medida provisória. Não sei se dá pra aumentar um pouquinho”, justificou.

    Leia tudo sobre: salário mínimoorçamentogim argello

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG