Aposentado na ditadura, Vinicius de Moraes recebe homenagem

Presidente Lula e várias autoridades prestarão a homenagem post mortem ao diplomata Vinicius de Moraes

Agência Brasil |

Na tentativa de reverter uma decisão tomada na ditadura, o governo brasileiro homenageará hoje (16) o poeta, escritor, compositor e diplomata Vinicius de Moraes (1913-1980). O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e várias autoridades prestarão a homenagem post mortem ao diplomata Vinicius de Moraes. Ele

AE
"De Vinícius de Moraes (na foto acima) em Itapoã só sobraram a praça e a casa”, diz morador
durante solenidade no Ministério das Relações Exteriores, marcada para as 17h30.

Em 1968, Vinicius de Moraes foi aposentado compulsoriamente por meio do Ato Institucional (AI) nº 5 sob a alegação de que seu comportamento boêmio não condizia com a carreira pública.

Segundo amigos, na época, Vinicius não se conformou com a decisão e deixou claro ter ficado magoado. Por 26 anos, ele atuou na diplomacia brasileira, em geral em atividades burocráticas, servindo em Los Angeles (Estados Unidos), Paris (França) e Roma (Itália).

A aposentadoria de Vinicius foi publicada quando ele fazia um espetáculo em Lisboa (Portugal) com Chico Buarque de Hollanda e Nara Leão. Na primeira vez que tentou ingressar no Itamaraty, ele foi reprovado na prova de seleção. A aprovação só ocorreu na segunda tentativa.

Para a homenagem, o Itamaraty pretende montar um cenário que lembre em cada detalhe o poeta consagrado não só pela genialidade nas criações, mas também pela admiração às mulheres. O compositor também ficou conhecido pelo seu senso de humor.

Amigo de poetas como Manuel Bandeira, Mário de Andrade e Oswald de Andrade, numa primeira fase, Vinicius fez uma série de parcerias ao longo da vida artística. Foi um dos precursores da bossa nova registrando uma das uniões mais bem-sucedidas na área musical: Vinicius e Tom Jobim.

No final da vida, o principal parceiro dele era Toquinho. Mas Vinicius também fez letras de chorinho em parcerias com Pixinguinha.

Crítico sagaz, boêmio e conquistador, Vinicius virou uma espécie de ícone dos intelectuais. Ele morreu em julho de 1980, depois de sentir dores durante a madrugada, em casa. Foi levado ao hospital e morreu em seguida.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG