Após ordem judicial, MST desocupa fazenda em São Paulo

Propriedade foi invadida no sábado por integrantes do movimento em ação conhecida como 'Abril Vermelho'

AE |

selo

A Justiça mandou desocupar em 24 horas a fazenda Leonilda, do radialista Zé Béttio, em Rinópolis, oeste paulista, invadida no sábado por 180 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). A liminar foi dada ontem pelo plantão judiciário de Bastos. Hoje de manhã, os sem-terra desmontaram os barracos e deixaram a propriedade. O grupo faz parte da dissidência do MST liderada por José Rainha Júnior.

De acordo com o coordenador Luciano de Lima, a orientação das lideranças é de que as ordens judiciais sejam cumpridas. As famílias retornaram para acampamentos da região e irão esperar que as terras sejam vistoriadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Rainha disse que o "Abril Vermelho" - a jornada nacional de lutas do MST - está apenas começando. "A ocupação em Rinópolis foi só para esquentar os motores. Quem diz que a reforma agrária está fora da pauta está falando bobagem, pois a luta está mais viva do que nunca", afirmou. Rainha divulgou uma lista dos 30 acampamentos que seu grupo mantém nas regiões do Pontal do Paranapanema e Alta Paulista, com um total de 6.175 acampados.

Ele promete mobilizar esse contingente para "ocupar terras devolutas ou improdutivas" este mês. "Nossa presidenta Dilma ( Rousseff ) precisa ouvir quem está com os pés na terra e debaixo da lona, caso contrário precisará de muitos bombeiros para os conflitos que virão", alertou.

    Leia tudo sobre: dilma rousseffmstabril vermelhojustiça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG