Após leilão de aeroportos, PT tenta afastar marca da privatização

Texto submetido ao diretório do partido nega semelhança entre operação e processo comandado no governo FHC

Ricardo Galhardo, enviado a Brasília |

AE
Texto revisado pelo presidente do PT ainda pode sofrer alterações
Passado o leilão que concedeu a consórcios privados o controle de alguns dos principais aeroportos brasileiros , o PT trabalha para tentar se desvincular da marca das "privatizações". Reunido ontem em Brasília, o partido produziu um texto no qual rejeita a compração entre o leilão concluído nesta semana e a venda de estatais comandada durante o governo do ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso.

Cafezinho: Aécio e Lindbergh fazem prévia do debate em torno das privatizações

Reação:
'Dilma desmistificou o demônio do privatismo', diz FHC

O texto-base que deu origem ao documento foi produzido pelo secretário-geral do PT, Eloi Pietá, e revisado pelo presidente nacional do partido, Rui Falcão.

No texto, o PT refuta o uso do termo "privatização" para se referir à mudança no controle dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília, anunciada nesta semana. Afirma que o governo da presidenta Dilma Rousseff realizou apenas uma "concessão", com prazo determinado de validade, e acrescenta que "não é verdade que acabou a disputa ideológica sobre as privatizações, como afirmou uma apressada voz tucana". A política de privatizações do governo FHC também englobou transferências de controle com prazo tempo determinado.

Entenda o caso: Concedido ou privatizado, investimento em infraestrutura é aplaudido

Especial: Confira a série de reportagens do iG sobre os 5 anos do PAC

O texto produzido pelo PT é uma referência ao fato de o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ter declarado que, com o leilão, Dilma "desmistificou o demônio do privatismo" . Diante do resultado do leilão nos aeroportos, líderes do PSDB vieram a público dizer que a operação evidenciou a contradição do PT em relação ao tema das privatizações. O presidente nacional do partido, Sérgio Guerra (PE) disse que os petistas usaram as privatizações para atacar tucanos em campanhas eleitorais e agora "não têm coragem de assumir" sua real posição sobre o tema.

"Nós não confundimos concessão com privataria tucana", reagiu ontem o presidente do PT, Rui Falcão. "Não vejo porque toda essa celeuma, já que o sistema de concessão dos aeroportos de Guarulhos, Campinas e Brasília nada tem a ver com o modelo privatista dos tucanos, que entregou patrimônio público a preços duvidosos."

*Com informações da Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG