Ex-presidente realiza nesta tarde rodada de encontros com pré-candidatos do partido para a eleição municipal em São Paulo

selo

Ministro da Educação, Fernando Haddad, disse não trabalhar ainda com cenário de desistência de Marta Suplicy
Agência Brasil
Ministro da Educação, Fernando Haddad, disse não trabalhar ainda com cenário de desistência de Marta Suplicy
O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse no início da tarde de hoje que não conta neste momento com a desistência da senadora Marta Suplicy (SP) da disputa pela vaga de candidato do PT para prefeito de São Paulo nas eleições de 2012. Haddad, que também é pré-candidato petista, afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está animado com o debate em torno das eleições municipais paulistanas e admite a possibilidade de a disputa para indicação do nome petista ser definida por meio de prévias.

"Ele reconhece a possibilidade", disse Haddad, ao deixar a sede do Instituto Lula, na capital paulista. "São cinco postulantes e ( a situação ) caminha para isso."

O ministro disse ainda que, caso haja uma consulta às bases do partido, o ex-presidente crê que o PT sairá unido da disputa interna. O ministro almoçou com o ex-presidente na sede do Instituto Lula. Haddad relatou que, no encontro, a disputa pelo posto do PT na corrida eleitoral foi um dos temas abordados. "Discutimos a evolução do quatro eleitoral", afirmou. "O ex-presidente disse que está animado, que o debate está evoluindo bem e que o nível da discussão está bastante elevado."

O ex-presidente se reúne esta tarde com o deputado federal Carlos Zarattini (SP), outro pré-candidato na disputa municipal. O deputado federal Jilmar Tatto (SP) e a senadora Marta Suplicy também irão conversar com Lula na tarde de hoje.

Líderes petistas acreditam que o ex-presidente deverá manifestar aos pré-candidatos sua preferência pelo nome do ministro e tentará um acordo para evitar que a disputa seja definida por meio de prévias. Lula tem trabalhado nos últimos meses em torno da candidatura de Haddad, que já conta com o apoio de prefeitos e intelectuais. Marta, que já foi prefeita, defende que seu nome representa a candidatura natural do partido. Aliados de Marta, contudo, consideram a possibilidade de ela comunicar ao ex-presidente sua desistência da disputa. "A conversa de hoje com Lula será decisiva", disse um aliado da senadora.

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.