Para o ex-presidente, Dilma tem dificuldade na montagem dos ministérios porque sua política está voltada a interesses de partidos

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso comparou os ministérios do governo Dilma Rousseff a balcões. Segundo ele, as dificuldades enfrentadas por Dilma no Congresso existem porque a divisão dos cargos no governo não foi feita com base em um programa de governo mas para atender interesses políticos. As declarações foram feitas durante votação nas prévias do PSDB na capital paulista .

Prévias: Serra diz que população apoiou sua renúncia à Prefeitura

Fotos: Veja as imagens das prévias do PSDB na capital pauslita

“A presidente Dilma está sentindo as dificuldades de uma montagem política que não está baseada nos interesses de um programa, mas nos interesses dos partidos e de balcões nos ministérios”, afirmou Fernando Henrique.

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso vota nas prévias do PSDB em São Paulo
AE
Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso vota nas prévias do PSDB em São Paulo

O ex-presidente não soube responder se as mudanças feitas por Dilma nas lideranças do governo na Câmara e no Senado surtirão efeito positivo. “Não adianta trocar seis por meia dúzia”, disse ele, pouco antes de votar nas prévias que vão definir o candidato tucano à prefeitura de São Paulo.

Além disso Fernando Henrique advertiu Dilma sob o risco de mergulhar na campanha de Fernando Haddad (PT). “Se entrar de cabeça pode quebrar a cabeça. É melhor não entrar de cabeça, entrar andando e conversando. Eu quando fui presidente tive o cuidado de apenas manifestar o voto no candidato da minha cidade, em São Paulo”, disse..

De acordo com ele, as prévias em São Paulo são um marco para o PSDB no sentido de aumentar a democracia partidária ao contrário, segundo ele, do PT. Para Fernando Henrique, o partido adversário regrediu na democracia interna e é obrigado a se submeter às decisões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“No PT é tudo imposição. O Lula vai lá e manda: ‘vai ser a Dilma, vai ser o Haddad’. E foi. Deixou de funcionar democraticamente como no passado. O PSDB, ao contrário, está se aperfeiçoando para ser um partido mais aberto”, disse Fernando Henrique.

Voto em Serra

O ex-presidente declarou publicamente que votará em José Serra mas avaliou que o ex-governador não será um nome natural para a eleição presidencial de 2014 mesmo que vença a disputa paulistana. Fernando Henrique defendeu a realização de prévias para a escolha dos candidatos tucanos toda vez que houver mais de um nome colocado na disputa.

Leia também: PSDB decide futuro político de José Serra

“Eu obviamente voto no Serra pelas nossas ligações históricas e pelas virtudes do Serra. Todos candidatos são preparados mas ele tem mais currículo”, disse o ex-presidente. “Sempre que houver mais de um candidato o PSDB deve fazer primárias”, completou.

Segundo Fernando Henrique, terminada a disputa interna todos os pré-candidatos devem garantir a unidade partidária.

“O mais importante destas prévias é que no final delas todo mundo esteja unido. Todos aceitaram as regras do jogo”, afirmou.

O ex-governador José Serra vota nas prévias do PSDB na capital paulista
AE
O ex-governador José Serra vota nas prévias do PSDB na capital paulista

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.