Ao se retirar de prévias por Serra, Matarazzo ataca PT

"O PT é o adversário e é a ele que temos de enfrentar", diz ex-pré-candidato tucano à Prefeitura de São Paulo

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

AE
Andrea Matarazzo concedeu coletiva de imprensa neste domingo

O secretário estadual da Cultura, Andrea Matarazzo (PSDB), retirou na tarde deste domingo sua pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo. O ato é uma demonstração de fidelidade ao ex-governador José Serra (PSDB), que deve anunciar sua entrada na disputa pela capital paulista na próxima segunda-feira. Em coletiva de imprensa realizada hoje, Matarazzo atacou o PT e garantiu que, se eleito, considera que Serra permanecerá no cargo nos quatro anos de mandato.

Leia também:

Serra deve disputar prévias com Aníbal e Tripoli

Para PT, entrada de Serra favorece Haddad na disputa

"O PT é o adversário e é a ele que temos que enfrentar. O adversário quer fazer da conquista de São Paulo o passo final de seu projeto de hegemonia", afirmou o ex-pré-candidato tucano. Em referência ao episódio de Pinheirinho , o secretário acusou o PT de usar o caso com fins eleitorais. "Ele (o PT) quer colher de São Paulo a tragédia humana", disse.

Matarazzo classificou a administração da ex-prefeita Marta Suplicy como "nefasta" e lembrou as diversas trocas de ministros, que deixaram o cargo após denúncias de corrupção no primeiro ano de gestão da presidenta Dilma Rousseff . "Tenho certeza de que a possibilidade de o PT voltar à cidade de São Paulo pesou bastante (na decisão de Serra em concorrer)", analisa Matarazzo.

Para Matarazzo, caso seja eleito, o ex-governador ficará no cargo durante os quatro anos de mandato, "talvez oito". Em 2006, Serra deixou a Prefeitura de São Paulo para se candidatar ao governo do Estado, depois de registrar em cartório a promessa de que ficaria no cargo até o fim do mandato.

AE
Dos quatro pré-candidatos, apenas dois permanecem na disputa em São Paulo

Prévias

Sobre as prévias internas do partido, marcadas para o próximo dia 4 de março, Matarazzo defendeu o adiamento da votação. Lideranças do partido estudam adiar as prévias para legitimar a candidatura de Serra .

Matarazzo negou que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) tenha lhe pedido que retirasse sua pré-candidatura em nome da colocação do nome de Serra e justificou sua desistência. "Ele (Serra) sempre estará mais credenciado que eu para alguns cargos", disse.

Amanhã, o secretário estadual de Meio Ambiente, Bruno Covas (PSDB), também irá retirar sua pré-candidatura. Com isso, apenas o secretário estadual de Energia, José Aníbal (PSDB), e o deputado Ricardo Tripoli, vice-líder do PSDB na Câmara, deverão permanecer na disputa interna. Um debate entre os pré-candidatos está marcado para a noite de segunda-feira e, até o momento, não foi cancelado. O ex-governador José Serra não deve comparecer.

(Colaboraram Thais Arbex, do Poder Online, e Nara Alves, iG São Paulo)

    Leia tudo sobre: Eleições 2012José SerraGeraldo AlckminPSDBprévias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG