Antes mesmo de votar mínimo, Paulinho já anuncia nova briga

Deputado do PDT e presidente da Força Sindical disse que vai lutar por reajuste da tabela do IR acima dos 4,5%

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O deputado Paulinho da Força (PDT-SP) afirmou nesta quarta-feira (16) que  a votação do salário mínimo será apenas o primeiro embate que deverá ter com o Palácio do Planalto. Ele já adiantou que vai brigar pela aprovação de um reajuste da tabela do Imposto de Renda acima da proposta do governo.

O projeto de lei sobre o IR deve começar a tramitar a partir da semana que vem. Até agora, o governo quer 4,5% de reajuste. "Nossa proposta é bem baratinha: 6,46%. Se não for o que estamos pedindo, vão ter que nos derrotar", disse.

Além de deputado, Paulinho é presidente da Força Sindical. Junto com a Central Única dos Trabalhadores (CUT), é a entidade de sindical com maior representatividade no País. O deputado deu a declaração logo após reunião que decidiu liberar o partido para votar o salário mínimo hoje.

Ele reconheceu que o PDT se dividirá em relação à votação do projeto de lei que aumenta o salário mínimo. Defensor da proposta de R$ 560, ele acredita, porém, que o ministro Carlos Lupi (Trabalho) não perderá o cargo pelo fato de a sigla não seguir a orientação do governo de votar o valor de R$ 545.

“Não existe a menor chance ( de Lupi ser demitido )”, disse Paulinho. “Quem está espalhando isso são os pitbulls do governo. A presidenta Dilma Rousseff e o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência) nunca disseram que isso iria acontecer”, completou Paulinho.

O deputado reconheceu que há um racha na bancada em relação à votação do mínimo. Ele não quis dizer, no entanto, quantos dos 27 deputados apoiaram sua proposta. “Até a hora da votação, vamos tentar conseguir o maior número de votos possível”, disse

    Leia tudo sobre: Salário MínimoPDTDilmaIR

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG