Andrea Matarazzo articula pré-candidatura à Prefeitura de SP

Com aval de Serra, secretário estadual de Cultura reuniu-se com Alckmin para comunicar interesse em disputar

AE |

selo

Com o aval do ex-governador José Serra , o secretário estadual de Cultura, Andrea Matarazzo, reuniu-se na segunda-feira com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin , para apresentar seu nome como candidato do PSDB à prefeitura da capital paulista em 2012. A decisão, que conta com apoio de parte da cúpula do PSDB paulista, altera a correlação de forças no partido na corrida municipal do ano que vem.

Agencia Estado
Interesse de Andrea Matarazzo dá ao grupo de Serra um nome na disputa municipal
Primeiro, deixa ainda mais distante a possibilidade de Serra disputar a prefeitura. Próximo do ex-governador, Matarazzo tem dado os passos de forma casada com ele. Depois, cria um candidato patrocinado pela ala próxima a Serra em contraponto ao grupo do governador Alckmin, que flerta com algumas nomes, mas ainda não tem um candidato oficial.

 A reunião entre Matarazzo e o governador ocorreu pela manhã de segunda-feira, por volta das 10h, no Palácio dos Bandeirantes. Oficialmente, seria um encontro para tratar de iniciativas para a divulgação da cultura italiana. Mas o objetivo era tratar do cenário político de 2012.

 O nome da deputada Mara Gabrilli chegou a ser sondado pelo grupo de Serra para a disputa. O senador Aloysio Nunes Ferreira (SP), por exemplo, era um dos que defendiam a parlamentar como opção, por avaliar que ela representaria uma novidade no cenário político, além de ter experiência administrativa - em 2005 Serra a nomeou secretária municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida.

Segundo a reportagem apurou, Matarazzo, próximo a Mara Gabrilli, teria atuado para que ela não alimentasse pretensões de entrar na disputa municipal. Os tucanos que defendem o nome do secretário, no entanto, também o apontam como "novidade" na disputa eleitoral. Após revezamento entre Serra e Alckmin na disputa municipal pelo PSDB desde 1996, seria o momento de lançar um nome novo na eleição. "Acho que seria bom adiantar o relógio", defende um cacique do partido.

Procurado, Matarazzo afirmou que tratou com o governador "exclusivamente" de assuntos da Secretaria de Cultura. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG