Aliados torcem para que volta de Dilma acelere transição

Primeiras conversas devem ser com integrantes do PT e do PMDB. Vice-presidente eleito, Michel Temer, chega nesta terça a Brasília

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Com a volta da presidenta eleita Dilma Rousseff (PT) a Brasília após viagens a Seul e a Porto Alegre, o processo de transição do atual governo para o futuro deve começar de fato a partir desta terça-feira. Pelo menos, é isso que esperam os principais integrantes da base aliada.

“Já estamos quase no fim do mês e a própria presidente eleita disse que gostaria de definir a composição do governo antes do Natal”, disse o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). “Então, a gente espera que as coisas andem mais rápido a partir desta semana”, completou.

Dilma ainda não marcou nenhum compromisso oficial. A expectativa, no entanto, é que ela se encontre com os três principais integrantes petistas da transição: o presidente do PT, José Eduardo Dutra, e os deputados José Eduardo Cardozo (SP) e Antonio Palocci (SP).

Cardozo, inclusive, já está em Brasília. “Ainda não recebi nenhum sinal, mas deve ter alguma coisa amanhã (terça). É a Dilma que vai decidir”, disse o deputado paulista. Até agora, ele é nome mais forte para ocupar o ministério da Justiça.

Apelidados de “os três porquinhos”, Cardozo, Dutra e Palocci deverão fazer um relato das recentes conversas que tiveram com lideranças dos partidos aliados. Ao longo da semana passada, eles se reuniram com integrantes de 11 partidos diferentes.

O principal pedido da base é para que não haja mudanças nos atuais cargos. Numa espécie de pacto, PMDB, PDT, PR e PP decidiram não reivindicar ministérios que já têm dono. Por exemplo, o PMDB abriu mão de negociar a pasta dos Transportes, que é comandada pelo PR.

Com maior bancada no Senado e a segunda maior na Câmara (só perde para o PT), o PMDB foi o primeiro a solicitar a manutenção das suas seis pastas. No entanto, como informou o iG, as prioridades são os ministérios de Minas e Energia e Agricultura.

O vice-presidente eleito, Michel Temer (PMDB-SP), volta a Brasília nesta terça-feira. Coordenador da transição, ele também deve ter uma reunião com a presidenta eleita para discutir sobre o novo governo.Temer foi quem começou a defender a manutenção dos atuais ministérios de cada partido.

“Ele que está conduzindo as conversas sobre o governo pelo PMDB. A gente acha melhor não haver mudanças para evitar atritos na base”, disse o líder Henrique Eduardo Alves. Ele e Temer reuniram-se nesta segunda-feira em São Paulo.

    Leia tudo sobre: Novo governoDilma RousseffAliados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG