Aliados cobram explicações e pedem saída de Palocci

Pedro Simon e Raul Pont pedem saída do ministro; Eduardo Campos cobra explicações sobre evolução patrimonial

iG São Paulo e iG Rio Grande do Sul |

No mesmo dia em que o PT decidiu não fazer uma defesa formal do ministro Antonio Palocci, líderes aliados intensificaram as cobranças contra o chefe da Casa Civil. Da tribuna do Senado, o peemedebista Pedro Simon (PMDB-RS) disse que Palocci deve deixar o cargo. Já o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do PSB, cobrou esclarecimentos sobre a evolução patrimonial do ministro.

Simon pediu que Palocci saia do governo antes mesmo de o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, se pronunciar sobre as denúncias. "Meu amigo, Palocci, já está ficando feio para o PT e o PMDB impedirem que Vossa Excelência venha depor no plenário ou numa comissão. Porque isso é o normal, nós estamos numa democracia", afirmou Simon, em referência aos requerimentos para que o ministro se explique ao Congresso. "Por isso, ilustre ministro Palocci, a grande saída é o senhor se afastar. Neste momento, nestas circunstâncias, acho difícil que o senhor continue, acho difícil", disse.

Campos, por sua vez, aproveitou o lançamento do programa Brasil sem Miséria, em Brasília, para comentar o caso. "Ele ( Palocci ) deve, sim, dar as explicações que a sociedade deseja como ministro, como homem público, ele deve à sociedade essa explicação. Agora o que não pode ser feito é prejulgamento, prejulgamento não é democrático", disse Campos, que aproveitou o lançamento do programa Brasil sem Miséria, em Brasília, para comentar a crise no Planalto.

"Não devemos permitir que a rinha política atrapalhe o Brasil neste momento. O ministro Palocci tem bom senso, colabora com este país, a presença dele no governo ajuda o governo. Até agora não consta contra ele nenhum inquérito, nenhuma condenação", afirmou o governador pernambucano.

Até mesmo dirigentes do PT pediram abertamente a saída do ministro. Presidente do Partido dos Trabalhadores no Rio Grande do Sul, o deputado estadual Raul Pont comentou a decisão tomada pela executiva nacional do partido nesta quinta-feira, de não divulgar uma resolução de apoio ao ministro. "Diante do impasse e das dificuldades que estão sendo criadas, o próprio ministro deveria sair do cargo e deixar um secretário-executivo administrando, enquanto as coisas não fossem esclarecidas", defendeu Raul Pont, em conversa com o iG .

Para o deputado gaúcho, o afastamento do ministro ajudaria o governo a se livrar dos ataques da oposição. "Acho que é preciso descontaminar o governo dessa história. Toda cobrança é feita para a Dilma, para as políticas do governo, e isso tem que tirar. O Palocci tem que pedir o afastamento para ajudar o próprio governo. Ficando, ele mantém essa cobrança permanente", destacou.

*Com informações da Agência Estado e reportagem de Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul

    Leia tudo sobre: Antonio paloccicrise

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG