Alencar tem pequenas hemorragias e passará por exame

Médico da equipe afirma que vice-presidente tem pequenas hemorragias intestinais não contínuas, que persistem

Agência Estado |

selo

O médico oncologista Paulo Hoff informou hoje que o vice-presidente José Alencar será submetido à tarde a uma arteriografia para identificar o ponto exato de sangramentos que ele tem sofrido nos últimos dias. Hoff, que faz parte da equipe que trata Alencar, afirmou que ele tem pequenas hemorragias intestinais não contínuas, que persistem. "O sangramento não é de grande monta, como foi no dia que ele foi internado (na quarta-feira), mas, infelizmente, está bastante claro que esse sangramento persiste. Ele para e recomeça. Obviamente, não é uma situação ideal", afirmou.

"Estamos trabalhando para que a interrupção desses sangramentos seja permanente", acrescentou. O médico oncologista afirmou ainda que o exame é feito num equipamento especial, muito parecido com o de cateterismo cardíaco. "Ele engloba tanto um procedimento invasivo nas artérias, como de imagem", detalhou. "Não chega a ser uma cirurgia, mas é invasivo."

Hoff negou que o procedimento seja arriscado e disse que o último sangramento no vice-presidente foi diagnosticado na manhã de hoje. O médico disse também que ele receberá hoje mais uma transfusão de sangue. "Nem sempre se consegue localizar o ponto exato do sangramento, mas, se isso for possível, há possibilidade de se fazer um procedimento para estancá-lo, imediatamente", disse.

Hoff disse que não há previsão de Alencar deixar a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Cardiológica do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e explicou que a equipe decidiu fazer o exame "num momento seguro". "O vice-presidente está bem, está lúcido e está conversando", contou. "A situação dele está controlada. Nós optamos por fazer esse procedimento num momento seguro."

Assim como outros médicos da equipe, Hoff disse que, no momento, Alencar não tem condições de participar da posse da presidenta eleita Dilma Rousseff e do vice-presidente Michel Temer , no sábado. O médico, contudo, não excluiu a hipótese. "Eu disse, anteriormente, que vamos fazer uma avaliação até o último minuto, pelo desejo muito grande do vice-presidente de participar da posse. Mas, nesse momento, ele não tem condições."

Agência Estado
O médico oncologista Paulo Hoff, do Sírio-Libanês
Alencar está internado desde quarta-feira, quando passou por cirurgia de emergência por causa de um quadro de hemorragia digestiva. Os médicos não conseguiram alcançar o tumor responsável pelo sangramento e recorreram a remédios. O procedimento cirúrgico foi o 17º a que Alencar foi submetido na luta que trava há mais de 13 anos contra um câncer na região do abdome.

Na sexta-feira, véspera de Natal, o vice apresentou nova hemorragia, contornada pela equipe médica. Desde então, o paciente continua sendo submetido a sessões de hemodiálise. Na tarde de ontem, Alencar recebeu a visita do deputado José Genoino (PT-SP). Genoino relatou que ele se recupera bem das hemorragias e impressiona pela lucidez. De acordo com o deputado do PT de São Paulo, o vice está tranquilo, diz não sentir dores e insiste em participar da cerimônia de posse de Dilma.

Os médicos que tratam o político observam que embora estável, o quadro de saúde é delicado. O médico cardiologista clínico Roberto Kalil Filho, um dos integrantes da equipe médica, disse na manhã de ontem que não recomenda que o vice-presidente participe da cerimônia , diante do quadro atual de saúde. Um novo boletim médico será divulgado na tarde de hoje.

    Leia tudo sobre: josé alencarhospital sirio-libanes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG