Além de carros novos, senadores terão iPhones

Justificativa é que a troca dos aparelhos reduzirá os custos da Casa ao substituir parte das ligações por mensagens de texto

AE |

selo

Depois de vários recuos provocados pelo temor da reprovação pública, o Senado decidiu mesmo trocar a frota de 86 veículos utilizados pelos parlamentares. Os senadores também receberão de graça novos aparelhos iPhone no lugar dos atuais celulares. A decisão foi tomada na reunião da Mesa Diretora de ontem. O primeiro-secretário, senador Cícero Lucena (PSDB-PB), afirma que estão sendo examinadas duas alternativas: adquirir novos veículos em substituição aos Fiat Marea, com média de oito anos de uso, ou optar por um contrato de locação.

A troca dos celulares por iPhones, no entender do primeiro-secretário, também tem por objetivo reduzir custos ao substituir parte das ligações por mensagens de texto. "Muito assuntos podem ser tratados por mensagem, o que é mais barato do que uma ligação celular", justifica Lucena, sem considerar que vários modelos mais simples de celular também enviam e recebem mensagens.

Segundo o senador, os aparelhos serão cedidos gratuitamente pela operadora escolhida pela Casa. "Todo o mercado acompanha e vê que as operadoras estão oferecendo equipamentos mais modernos e custos mais baratos em termos de conta", afirmou o primeiro-secretário. A Casa não impõe limites para gastos com telefones celulares, o que funciona como um estímulo a mais para as operadores cederem os aparelhos. Já a cota mensal de gastos com telefones fixos disponibilizados nos apartamentos funcionais é de R$ 500 para os senadores e de R$ 1 mil para os lideres dos partidos.

O Senado tem ao todo 188 veículos, entre os quais estão os 86 utilizados pelos 81 senadores, além de ônibus e microônibus que fazem o transportes de funcionários e convidados, vans para o transporte de integração até os estacionamentos do Congresso, caminhões para transporte do mobiliário, ambulâncias e veículos leves e médios. Apesar da decisão, Lucena afirma que o alvo é reduzir o custo da Casa na área de transportes, atualmente de R$ 17 milhões ao ano, incluindo a despesa de pessoal e as demais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: senadoiPhonegastoslegislativo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG