Aldo engrossa o time de candidatos da base governista, que já conta com nomes do PT, PMDB, PSB, PR e PDT

selo

O deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP)
AE
O deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP)
O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) lançou-se na corrida pela vaga de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), aberta com o pedido de aposentadoria do ex-presidente do órgão Ubiratan Aguiar. Aldo engrossa o time de candidatos da base governista, que já conta com nomes do PT, PMDB, PSB, PR e PDT.

Aldo, que foi presidente da Câmara entre 2005 e 2007, diz que, no momento, conta apenas com o apoio de seu partido (15 deputados e dois senadores). Mas o comunista, titular de seis mandatos consecutivos, dispõe ainda do capital acumulado nas últimas duas eleições em que concorreu à presidência da Câmara.

 Tradicionalmente, Câmara e Senado se alternam na indicação de seis das nove vagas de ministro do TCU, sendo que as outras três são indicadas pelo presidente da República. Agora é a vez de um nome da Câmara herdar a cadeira de Ubiratan Aguiar, que foi deputado pelo PSDB.

 Não há data agendada para a eleição, que precisa ser designada pelo presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS). Além dos três deputados peemedebistas, disputam a vaga no TCU: o líder do PTB, Jovair Arantes (GO), a líder do PSB, Ana Arraes (PE), Sérgio Carneiro (PT-BA), Damião Feliciano (PDT-PB), Milton Monti (PR-SP) e José Rocha (PR-BA). O auditor do TCU Rosendo Severo também concorre à vaga com o apoio de movimentos da sociedade civil que defendem a eleição de um técnico ao invés de um político.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.