Deputado anunciou no início da tarde de hoje que foi convidado para suceder Orlando Silva

O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) confirmou no início da tarde que foi escolhido como o novo ministro do Esporte. "Eu recebi o convite, aceitei e agora vamos iniciar o processo de transição", afirmou Aldo, ao deixar uma reunião no Palácio da Alvorada com a presidenta Dilma Rousseff e o comando do PC do B.

Leia também:
-  Poder Online: Aldo Rebelo a um passo do Ministério do Esporte
- Guilherme Barros: Aldo Rebelo será o novo ministro do Esporte
- Orlando Silva parabeniza Aldo Rebelo pelo Twitter

Horas antes de confirmar nomeação, Aldo já havia recebido os parabéns de Orlando Silva no Twitter
AE
Horas antes de confirmar nomeação, Aldo já havia recebido os parabéns de Orlando Silva no Twitter

Ontem à noite, como informou a Poder Online , Aldo já havia dito a amigos que se dispunha a aceitar a vaga e que o encontro com Dilma para bater o martelo ocorreria nesta manhã.  A escolha foi confirmada hoje de manhã pelo colunista do iG , Guilherme Barros , dá um desfecho à crise que resultou na demissão de Orlando Silva da pasta na quarta-feira . Silva tornou-se alvo de denúncias por um susposto esquema de desvios na pasta, baseado em convênios com organizações não-governamentais.

Hoje, pela manhã, o próprio Orlando Silva havia indicado que Aldo seria seu sucessor no cargo . Por meio do microblog Twitter, o ex-ministro parabenizou o sucessor: "Bom dia @aldorebelo! Deus ilumine teus caminhos. Bom trabalho!" 

O nome de Aldo aparece desde ontem na lista de possíveis substitutos de Orlando Silva, embora circulasse também a avaliação de que o parlamentar não seria o favorito da presidenta para o posto. Além dele, chegaram a ser cotados nomes como o do ex-deputado Flávio Dino (PC do B-MA) e a ex-prefeita de Olinda Luciana Santos (PC do B-PE).

Aldo Rebelo integrou também o primeiro escalão do governo Luiz Inácio Lula da Silva e contou com apoio do governo do ex-presidente na disputa por cargos de destaque como a presidência da Câmara. Recentemente, no entanto, a relação do deputado com o Planalto passou por arranhões, em decorrências das negociações do Código Florestal, projeto do qual foi relator.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.