Alckmin toma posse e exalta feitos de Fernando Henrique Cardoso

Governador falou em progressos nos 16 anos do PSDB à frente do Estado de São Paulo e prometeu buscar boa relação com Dilma

Nara Alves, iG São Paulo |

Ao tomar posse como governador de São Paulo, neste sábado, Geraldo Alckmin (PSDB), exaltou os feitos da gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), do ex-governador José Serra (PSDB) e prometeu buscar uma boa relação com a presidente eleita Dilma Rousseff (PT).

“Nunca é demais ressaltar os méritos do presidente Fernando Henrique Cardoso, cujo governo assentou as bases políticas e econômicas para o desenvolvimento”, disse no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. “Vamos deixar a modéstia de lado. O presidente Fernando Henrique mudou o Brasil”, ressaltou.

Para Alckmin, o governo de Fernando Henrique foi exemplo de relacionamento com a imprensa e "um espelho para os Estados". Presentes na cerimônia, Serra e FHC quebraram o protocolo e cumprimentaram o governador eleito durante o discurso.

O novo governador de São Paulo também exaltou o legado de 16 anos em que o PSDB esteve à frente do Estado e elencou características positivas de Serra, como brilho, inteligência, criatividade, compromisso com a ética, “que fizeram dele uma grande lideranca nacional”.

Também em sua fala, o tucano eleito disse esperar uma boa parceria com a presidente eleita. "Vamos ter com a presidente Dilma a melhor das relações”, enfatizou. "Sem esquecer de reivindicar que São Paulo precisa do governo federal”. Antes do Alckmin, o ex-governador de São Paulo, Alberto Goldman, também havia feito um discurso no qual criticou o repasse do orçamento da União aos Estados.

Pressa

A cerimônia transcorreu em ritmo acelerado. O discurso de Alckmin estava previsto para terminar às 13h40, mas acabou com mais de meia hora de antecipação, já que de lá ele segue para a posse de Dilma, em Brasília. Além de Serra e FHC, estiveram presentes na solenidade de posse de Alckmin o ex-governador Paulo Maluf (PP) e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), que deixou o Palácio dos Bandeirantes antes do término da cerimônia e seguiu para Brasília de helicóptero.

O cerimonial de transição do cargo começou às 10h na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, onde Alckmin sugeriu um pacto com a oposição em prol da governabilidade. “Conto com a oposição responsável, que propõe o dialogo para melhorar o processo político e o governo como um todo”, disse.

Esta é a terceira vez que Alckmin toma posse como governador de São Paulo. Em 2001, com a morte do então governador Mário Covas, ele assumiu o mandato. Um ano depois, reelegeu-se governador. Nas últimas eleições, em outubro, foi eleito no 1º turno, com 50,63% dos votos válidos.

    Leia tudo sobre: geraldo alckminsão paulogovernoserrafhc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG