Governador reclamou que, como o tema do evento era 'cortar', auxiliares não apareceram

selo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, se irritou com a ausência de representantes das secretarias estaduais em evento, hoje, para lançar programa de economia de gastos públicos. O bom humor habitual do governador em cerimônias oficias deu lugar a uma bronca coletiva. "Se nós fizéssemos uma reunião para gastar, estaria lotado. Mas como é para cortar gastos, nem os secretários vieram. Lamentavelmente", disse Alckmin.

Leia também: PDT é primeiro alvo de Alckmin na busca de alianças para Serra

Em geral bem humorado, Alckmin não poupou secretários ausentes
AE
Em geral bem humorado, Alckmin não poupou secretários ausentes
O programa Melhoria do Gasto Público, ligado à Secretaria de Gestão Pública, foi criado com objetivo de reduzir despesas em novas aquisições e gastos cotidianos, como energia e telefonia. Cada secretaria e órgão estadual deveriam indicar os chamados "guardiães da economia". No evento, porém, alguns órgãos sequer indicaram o representante.

Irritado com as cadeiras vazias durante a solenidade no Palácio dos Bandeirantes, Alckmin fez uma chamada oral dos 107 guardiães para checar a presença. "Ou tem um guardião ou não assume. E quem não veio nem na reunião de lançamento, não vai economizar nada. Pode trocar já de cara. É coisa séria", afirmou. A "checagem" durou quase vinte minutos. "Aqui não tem nem o nome do titular (...) Tão indicando chefe de gabinete. Tem que ser outra pessoa. Chefe de gabinete é para acumular mais uma função", criticou.

De acordo com a Secretaria de Gestão Pública, caberá aos guardiães identificar possíveis focos de redução de despesas e estabelecer metas internas. Alckmin apresentou como meta geral do governo a redução de 5% em gastos, por exemplo, de diárias, passagens e materiais de consumo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.