Alckmin convida PMDB para participar do seu governo em SP

Governador eleito fez convite durante reunião com representantes do PMDB de São Paulo

Nara Alves, iG São Paulo |

Em reunião na tarde desta quarta-feira, no escritório do governo de transição na capital paulista, o governador eleito por São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) oficializou o convite para que o PMDB participe do seu futuro governo. A informação é do coordenador do governo de transição e futuro secretário da Casa Civil do governo paulista, Sidney Beraldo.

Beraldo ressaltou o papel do presidente do PMDB em São Paulo, Orestes Quércia, na composição da chapa que venceu as eleições no Estado. “O PMDB foi muito leal, cumpriu seus compromissos, inclusive quando o governador (Quércia) adoeceu”, disse.

O tucano ainda enfatizou a importância do PMDB no tempo do horário eleitoral na TV para a eleição de Aloysio Nunnes Ferreira ao Senado. Ele referia-se ao fato de Quércia ter retirado sua candidatura em prol de Nunes Ferreira quando precisou ser internado no hospital para tratamento de câncer.

Com relação ao convite de Alckmin ao PMDB, Beraldo disse que “o governador teve a oportunidade de fazer o convite e dizer que gostaria de ter o PMDB no governo”. Para o futuro secretário da Casa Civil, o fato de o deputado Michel Temer (PMDB-SP) ter sido eleito como vice na chapa de Dilma Rousseff (PT) não atrapalha a aliança com o partido em São Paulo.

“São circunstâncias políticas que temos que compreender”, afirmou Beraldo. Enquanto Temer é o principal articulador do PMDB na composição do ministério do governo Dilma, o PMDB em São Paulo negocia secretarias no futuro governo Alckmin. Atualmente, o PMDB tem apenas uma secretaria no governo tucano em São Paulo, que é a de Ação Social.

Segundo o deputado estadual Jorge Caruso, vice-presidente do PMDB em São Paulo, durante a reunião com Alckmin não foram discutidos nomes nem pastas que poderão ser comandadas pela legenda no governo paulista. Ao ser questionado se Quércia poderia se licenciar da presidência do PMDB, Caruso disse que o partido espera pela recuperação do senador, que está hospitalizado.

Além de Caruso, também participaram da reunião os deputados estaduais peemedebistas Baleia Rossi, Itamar Borges, Uebe Rezeck e Vanessa Damo, além do vereador Joogi Hato.

Disputa na Câmara

Joogi Hato, único vereador do PMDB que foi eleito este ano para Assembléia Legislativa, declarou seu apoio ao candidato à presidência da Câmara Municipal Milton Leite (DEM). O vereador, que é do centrão (partidos que compõem a base de apoio ao prefeito Gilberto Kassab), afirmou que vai trabalhar por uma “chapa única”, já que José Police Neto (PSDB) também é candidato.

Hato defendeu que os vereadores entrem em um acordo. “Os ânimos estão acirrados. Época de eleição na Câmara é assim mesmo, vale tudo. Mas têm limites porque depois eles terão de conviver”, afirmou. Hato se referia ao incidente relatado pelo jornal O Estado de S. Paulo sobre um confronto físico entre grupos de vereadores que disputam a presidência da Câmara.

    Leia tudo sobre: alckminpmdbberaldogoverno de transiçãoquércia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG