Senador eleito por Minas Gerais diz que oposição precisa estar unida se quiser retomar a Presidência da República em 2014

Líder da oposição mais bem sucedido na última eleição, o ex-governador de Minas Gerais e senador eleito Aécio Neves (PSDB) encontrou-se nesta terça-feira, em reuniões diferentes, com líderes tucanos e do DEM e pediu união das forças contrárias ao governo. “Os embates para valer nós vamos enfrentar é com os nossos adversários”, disse.

A declaração foi feita no encontro com o DEM, partido que vive uma crise interna. Nesta quarta-feira, os integrantes da Executiva da sigla vão decidir o substituto de Rodrigo Maia (DEM-RJ) no comando da sigla. O nome mais forte para assumir o partido é o do senador reeleito José Agripino (RN). A data da convenção do partido, porém, ainda não foi definida.

Para Aécio, a oposição precisa estar unida se quiser retomar a Presidência da República em 2014. Ele aposta no desgaste na relação entre os partidos que compõe o atual o governo e que deverão fazer parte da base aliada da presidente Dilma Rousseff (PT). “Não sei vai durar (essa base), porque é muito ampla e heterogênea”, disse.

Aécio lembrou ainda que é preciso “fazer uma oposição qualificada e profissional”. Como já havia feito no final da disputa presidencial de segundo turno, o tucano afirmou que a oposição “precisa defender suas bandeiras”. “Em vez de esconder, temos de falar das privatizações. Não temos de ter receio. As conquistas deste governo vêm de governos anteriores”, afirmou.

Depois da reunião com o DEM, Aécio teve um encontro com senadores do PSDB no gabinete de Tasso Jereissati (CE), tucano que não conseguiu se reeleger. O encontro foi fechado. O tucano mineiro busca a unidade do PSDB em torno do seu nome para comandar o partido. Ele tenta evitar um embate mais duro com a ala paulista do partido.

Aécio pode até surgir como candidato a presidente do PSDB, mas, por ora, trabalha para manter no cargo o senador e deputado eleito Sérgio Guerra (PE). Nos bastidores, aliados do ex-governador de São Paulo e candidato derrotado à Presidência da República José Serra também tentam mantê-lo vivo na disputa pelo comando do partido.

Além de se articular com o DEM e com o PSDB, Aécio tenta aumentar o leque de apoios. Na noite desta terça-feira, deverá jantar com o presidente nacional do PSB, Eduardo Campos. Os dois são amigos, apesar de estarem em lados opostos no que se refere à política nacional. Isso porque Campos é um aliado de primeira hora da presidente eleita Dilma Rousseff.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.