Embora busque aproximação com PSD, senador diz que não pretende procurar Kassab, como aconselhou o ex-presidente do DEM

selo

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse hoje que não acredita que seja de interesse do ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB), a "fragilização das oposições". Ao participar da posse da nova diretoria da Associação Mineira dos Municípios (AMM), durante congresso da entidade, em Belo Horizonte, Aécio foi perguntado se suspeitaria de que Serra está por trás da articulação do prefeito paulistano, Gilberto Kassab, para a criação do PSD.

O Senador Aécio Neves (PSDB-MG) durante Sessão do Senado, em Brasília
AE
O Senador Aécio Neves (PSDB-MG) durante Sessão do Senado, em Brasília
"Não acredito nisso até porque não interessa a ele, não interessa a nenhum de nós a fragilização das oposições", afirmou o senador, salientando que não vê "o futuro das oposições com o ceticismo de alguns". "Ao contrário. Quem ganha a eleição, evidente que vive um primeiro momento muito favorável. Mas eu acredito que o maior aliado das oposições é o governo que aí está, que com uma maioria extremamente ampla não mostra a menor disposição de enfrentar nenhum contencioso de propor as reformas ao Congresso".

Embora esteja buscando aproximação com o novo partido, Aécio afirmou que não pretende procurar Kassab, como teria lhe aconselhado o ex-presidente do DEM, Jorge Bornhausen. "Não penso nisso". No papel de opositor, Aécio aproveitou a visita ao Estado natal e cobrou "atitude" do governo federal em relação à BR-381, classificada em Minas como uma "rodovia da morte".

Hoje, o bloco de apoio ao governo Antonio Anastasia (PSDB) na Assembleia protocolou na Procuradoria da República uma ação judicial para responsabilizar o Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT) pelos prejuízos causados aos atingidos com a interdição, desde o dia 20 de abril, de uma ponte da rodovia sobre o Rio das Velhas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.