Adiado julgamento de cassação de registro do governador de RR

Candidato derrotado acusa Anchieta Júnior (PSDB) de improbidade administrativa por utilizar rádio estatal para fins eleitoreiros

AE |

selo

O Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR) adiou para janeiro o julgamento de uma ação que pede a cassação do registro ou do diploma do governador reeleito do Estado, José de Anchieta Júnior (PSDB). O processo é movido pelo candidato derrotado Neudo Campos (PP), que acusa Anchieta e o vice dele, Chico Rodrigues (DEM), de improbidade administrativa devido à utilização para fins eleitoreiros da Rádio Roraima, de propriedade do Estado. 

O Ministério Público Eleitoral (MPE) deu parecer favorável à cassação.

O caso seria apreciado amanhã, mas ficou para depois do recesso judiciário em razão do acúmulo de processos de prestação de contas dos candidatos eleitos, que devem ser julgados até a próxima sexta-feira, quando serão diplomados pelo Tribunal. Ainda faltam ser julgadas 21 prestações de contas.

O caso mais complexo é justamente do governador reeleito. O processo, segundo o TRE, já tem 21 volumes e mais de dez mil páginas. Anchieta gastou R$ 9,7 milhões na campanha. Entre os doadores, estão secretários estaduais e empresas que mantêm contratos com o governo.

Outro motivo alegado pelos magistrados é a falta de quórum do Pleno do TRE, que está sem os dois juízes titulares da classe dos juristas. Os processos de nomeação se encontram no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e na Presidência da República.

    Leia tudo sobre: roraimacassaçãoimprobidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG