Tamanho do texto

Empresa brasileira possui réplicas da Estátua da Liberdade em suas unidades; vídeo do deputado viralizou nas redes sociais após a notícia de que o dono da Havan foi multado pelo TSE por impulsionar postagem a favor de Bolsonaro

Vídeo que viralizou nas redes sociais foi gravado há mais ou menos três meses e faz parte de uma live feita no Facebook
Reprodução
Vídeo que viralizou nas redes sociais foi gravado há mais ou menos três meses e faz parte de uma live feita no Facebook

Um vídeo do deputado e candidato à Presidência pelo Patriota, Cabo Daciolo , em que ele afirma que irá mandar as lojas Havan retirarem as réplicas da Estátua da Liberdade das unidades viralizou nas redes sociais esta semana.

“Vai sair uma por uma, se quiser colocar no máximo de dois metros. E cada uma que colocar aqui, vai ter que colocar no seu país [referência aos Estados Unidos]. Cada uma que tiver na nação brasileira vai estar nos Estados Unidos, senão está fora”, diz Cabo Daciolo .

Apesar da exigência do deputado, as estátuas fazem parte da marca de uma loja de departamentos brasileira surgida em Brusque, Santa Catarina, mas que hoje conta com filiais espalhadas pelo país.

No mesmo vídeo, o presidenciável pede para quem está gravando ir mais para trás e mostrar a estátua. “Mostra para o povo, mostra para a nação, tá repreendido” , esbraveja o deputado. Veja a repercussão nas redes sociais:


As imagens divulgadas nas redes sociais foram gravadas há mais ou menos três meses e fazem parte de uma live feita no Facebook na página do deputado. Atualmente, Daciolo cumpre um jejum de 21 dias iniciado no dia 5 de setembro em um monte.

O vídeo viralizou no mesmo dia em que o dono da rede Havan, o empresário Luciano Hang, foi multado pelo Tribunal superior Eleitoral por impulsionar no Facebook um conteúdo favorável a Jair Bolsonaro , candidato do PSL à Presidência da República.

Essa foi a primeira vez que o TSE aplicou a regra segundo a qual apoiadores não podem pagar por propaganda para candidatos na internet, em especial na forma de impulsionamento de conteúdo.

“A lei estabelece que pessoa física não pode fazer por motivo simples, seria impossível analisar na prestação de contas, geraria problemas”, afirmou o relator, ministro Luís Felipe Salomão, na quinta-feira (13). Ele determinou multa de R$ 10 mil por dia em caso de reincidência.

Todos os demais ministros do TSE o acompanharam. Salomão decidiu não sancionar o Facebook, pois a empresa retirou do ar o conteúdo assim que foi solicitada. O ministro também entendeu não haver provas de que Bolsonaro tinha conhecimento do ato, motivo pelo qual eximiu o candidato de responsabilidade.

Conheça Cabo Daciolo

O candidato Cabo Daciolo (Patriota) tem chamado a atenção desde o primeiro debate entre os presidenciáveis
Creative Commons/Wikimedia
O candidato Cabo Daciolo (Patriota) tem chamado a atenção desde o primeiro debate entre os presidenciáveis

Daciolo, atual deputado federal do Rio de Janeiro, tem 42 anos, nasceu em Florianópolis e começou a ganhar notoriedade em 2012, quando atuava como bombeiro e foi expulso da corporação por comandar uma invasão ao Quartel-General no ano anterior.

Líder grevista, Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos começou sua carreira política recentemente, em 2014, quando se candidatou a deputado federal pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol) e foi eleito com cerca de 50 mil votos.

Sua passagem pelo Psol foi conturbada e marcada por uma série de propostas e posições que contrariavam o programa do partido de esquerda. Com recorrentes declarações que enfatizavam suas crenças religiosas – Daciolo é evangélico – e com propostas que reforçavam sua posição cristã, não demorou muito para ele deixar o partido.

De acordo com o jornal Gazeta do Povo, ele defendeu a libertação dos 12 militares acusados de envolvimento na morte de Amarildo Dias de Souza e tentou incluir "Deus" na Constituição Federal. Aliás, foi o responsável por apresentar a proposta que queria modificar o parágrafo primeiro, “todo o poder emana do povo, para “todo o poder emana de Deus”.

Depois destes casos, em 2015, o partido decidiu expulsar o parlamentar. Em seguida, o catarinense se filiou ao PT do B, atual Avante.

Mais polêmicas do Cabo Daciolo

Cabo Daciolo já declarou que defendia a intervenção militar e o fechamento do Congresso
Montagem iG/TV Bandeirantes
Cabo Daciolo já declarou que defendia a intervenção militar e o fechamento do Congresso

O candidato já declarou que defendia a intervenção militar e o fechamento do Congresso, pediu para que Temer "abandone a maçonaria, abandone o satanismo e venha correndo para Deus", e ainda "previu" que o deputado federal Jean Willys (Psol) iria se casar [com uma mulher] e ter filhos. 

O deputado federal também 'profetizou' em uma sessão da Câmara dos Deputados – com uma bíblia nas mãos – que a deputada tetraplégica Mara Gabrilli (PSDB) voltaria a andar. "Quero diante de todos profetizar a cura da deputada Mara. Eu creio que aquela mulher vai levantar da cadeira e começar a andar. Eu peço ao Deus das causas impossíveis que possa estender a mão dele e possa tocar na sua serva", clamou em julho deste ano.

Em março, o Patriota anunciou que lançaria Cabo Daciolo como candidato a presidente , após Jair Bolsonaro (agora presidenciável pelo PSL) deixar o partido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.