Para o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, publicação com personagens da Turma da Mônica conta “de forma simples e objetiva uma história delicada e importante para o futuro do país”

Governo federal lança revista da Turma da Mônica com temática militar
Agência Brasil
Governo federal lança revista da Turma da Mônica com temática militar

O governo federal lançou, nesta quarta-feira (16), o almanaque A Turma da Mônica e a Indústria de Defesa. A proposta, afirma o governo, é ampliar entre crianças e jovens os conhecimentos sobre o papel das forças armadas e da indústria armamentícia e da defesa.

Leia também: Por unanimidade, TSE rejeita recurso de Bolsonaro contra pesquisa Datafolha

Foram produzidas 200 mil revistas em quadrinhos de 100 páginas, orçadas em R$ 300 mil. Foram tratados temas como as riquezas naturais do país, a importância do monitoramento de fronteiras, defesa cibernética, veículos militares, resgate e salvamento de pessoas, combate a incêndios de grandes proporções e ajuda humanitária.

Além de explicar as diferenças entre Exército, Marinha e Aeronáutica, bem como as profissões e áreas de conhecimento que compõem as Forças Armadas , o almanaque apresenta conceitos que nem sempre fazem parte do mundo infantil, como o da Amazônia Azul (riquezas minerais e biológicas do mar brasileiro), e explica os benefícios que alguns equipamentos e tecnologias militares podem proporcionar à população.

Leia também: "Posso resgatar a credibilidade do governo", garante Lula, em artigo no Le Monde

De acordo com o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Guto Ferreira, o projeto será levado inicialmente às escolas militares.

“Também há a possibilidade de desenvolvermos gibis abordando o setor de energias renováveis e a política automotiva, que mexe com uma cadeia gigantesca de profissões. A ideia é começar a trabalhar esses temas também de forma lúdica, e preparar as novas gerações para as profissões do futuro. Profissões que ninguém sabe ao certo quais são, mas para as quais essas gerações têm de estar bem preparadas”, acrescentou Ferreira.

Para o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, o impacto do setor da indústria da defesa nas exportações, por envolver bens de alto valor agregado, foi relevante para a escolha do tema a ser abordado na primeira revista.

“Tivemos a preocupação de explicar desde cedo às crianças, de forma lúdica, para induzi-las a ter uma visão mais criativa do papel da indústria da defesa e da própria defesa nacional do Brasil. É um setor cada vez mais dinâmico, que envolve inovação e alta tecnologia. A expectativa é de que possamos ampliar esses almanaques”, disse o ministro.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Senado aprova criação de Sistema Único de Segurança Pública

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.