Tamanho do texto

Presidente da Câmara criticou "plano B" do governo e disse que a pauta da Casa será definida pelo Legislativo; metas do Executivo são alternativas a reforma da Previdência, suspensa devido ao decreto de intervenção no Rio

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia ressaltou que o governo não tem votos para aprovar a reforma da Previdência
Marcos Corrêa/PR - 1.9.17
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia ressaltou que o governo não tem votos para aprovar a reforma da Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou que o governo não apresentou nenhuma novidade ao anunciar na segunda-feira (19) projetos prioritários na área econômica. De acordo com Maia, a pauta apresentada é da Câmara, já que são propostas em tramitação, independentes do Executivo. Ele criticou o governo por apresentar a pauta como se fosse sua . “Esse é um café velho e frio que não atende como novidade a sociedade”, criticou. 

“Do jeito que eles apresentaram é como se fosse a pauta do governo no Legislativo, isso é um abuso”, completou. Segundo Rodrigo Maia , o anúncio do governo foi um desrespeito com o Parlamento.

“O governo que apresente uma pauta econômica nova, porque a que está aqui o tempo de discussão e votação é definido pela presidência da Câmara. Vamos respeitar a independência dos poderes. A apresentação de ontem (segunda-feira) foi um equívoco, foi um pouco de desrespeito ao Parlamento já que os projetos já estão aqui”, destacou Maia.

Leia também: Ceará não sofrerá intervenção federal como houve no Rio, garante Eunício

"Plano B"

Na segunda-feira (19), após desistir de votar a reforma da Previdência antes das eleições de 2018, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles anunciou um conjunto de medidas que o governo pretende votar na Câmara neste ano.

Entre as metas, está aprovar a autonomia do Banco Central; rever forma como opera o PIS/Cofins e simplificar a tributação; fazer passar a privatização da Eletrobras; reforçar as agências reguladores do governo; extinguir o Fundo Soberano da União e atualizar a Lei Geral das Telecomunicações, entre outras medidas microeconômicas. 

Leia também: Plenário do Senado votará decreto de intervenção no Rio de Janeiro nesta terça-feira

No entanto, o presidente da Câmara ressaltou nesta terça-feira que o governo não tem votos para aprovar a reforma da Previdência e afirmou que não vai pautar projetos de lei, de natureza infraconstitucional, sobre o tema. “Não dá para ficar criando espuma com a sociedade com um tema tão grave quanto esse. Não vou ficar discutindo por projeto de lei, algo que eu não sei se o governo tem ou não votos para aprovar”, afirmou Rodrigo Maia.

* Com informações da Agência Câmara

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.