Cabral chega ao PR e segue para prisão em Pinhais após decisão de Moro e Bretas

Ex-governador foi levado ao Complexo Médico-Penal, onde as celas são menores e abrigam presos da Lava Jato como Eduardo Cunha e Vaccari Neto; transferência ocorre após MPF acusar 'privilégios' a Cabral em cadeia do Rio
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil - 17.11.16
Complexo Médico-Penal é o terceiro presídio a receber Sérgio Cabral, que já passou pelos cárceres de Bangu e Benfica

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) realizou exame de corpo de delito na manhã desta sexta-feira (19) no Instituto Médico-Legal de Curitiba e seguiu para a prisão do Complexo-Médico Penal, em Pinhais (PR).

A transferência de Sérgio Cabral foi determinada nessa quinta-feira (18) pelos juízes Sérgio Moro (Curitiba) e Marcelo Bretas (Rio) , atendendo a pedido das forças-tarefa de procuradores que atuam na Operação Lava Jato nos dois estados.

O Ministério Público Federal (MPF) alegou que o ex-governador recebia "diversos privilégios" no presídio de Benfica, na zona norte do Rio, onde estava detido desde maio do ano passado. Também foi destacada a necessidade de Cabral participar de audiências da ação penal em andamento na 13ª Vara Federal de Curitiba, do juiz Moro.

No Complexo Médico-Penal de Pinhais, que fica a cerca de 20 quilômetros da capital do Paraná, Cabral será colega de outros presos da Operação Lava Jato, como o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB) e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

As instalações do presídio são mais modestas que a da Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. Enquanto o antigo cárcere de Cabral possui 16 metros quadrados, capacidade para oito presos, vaso sanitário e chuveiros separados, no Complexo Médico-Penal as celas são menores (capacidade para três presos) e os banhos são coletivos.

"Privilégios" de Cabral no Rio

Entre os "privilégios" concedidos a Cabral em Benfica, os procuradores da Lava Jato apontaram o episódio da instalação de uma sala de cinema para o ex-governador no presídio e a ausência de fiscalização de visitas. Também foi apontada falta de controle de entrada e saída de objetos na cadeia.

As regalias concedidas ao político já haviam motivado decisões judiciais anteriores determinando a  transferência de Cabral para um presídio federal de segurança máxima no Mato Grosso do Sul. A medida foi ordenada pelo juiz Marcelo Bretas em outubro, mas nunca foi efetivada.

Cabral está preso desde o dia 17 de novembro de 2016 , quando foi deflagrada a Operação Calicute no Rio de Janeiro. Antes da prisão de Benfica, o ex-governador passou alguns meses detido no Complexo Prisional de Gericinó, em Bangu.

O ex-governador do Rio de Janeiro já foi condenado em quatro ações penais da Lava Jato e suas penas já ultrapassam 87 anos de prisão . Sérgio Cabral já foi denunciado um total de 20 vezes por conta dos crimes no âmbito do Governo do Estado do RJ.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-01-19/sergio-cabral.html