TRF4 não terá expediente administrativo e judicial no dia 24 de janeiro; apenas a sessão da 8ª Turma, que julgará recurso do petista, irá ocorrer

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será julgado no dia 24 de janeiro no TRF4 na ação envolvendo tríplex
Jane de Araújo/Agência Senado - 29.8.16
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será julgado no dia 24 de janeiro no TRF4 na ação envolvendo tríplex

Por conta do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, suspendeu o expediente no dia 24 de janeiro. Neste dia, a 8ª Turma do tribunal vai julgar a apelação do petista contra a sentença do juiz federal Sérgio Moro no caso do tríplex do Guarujá (SP). Com a decisão, somente as pessoas envolvidas diretamente no julgamento poderão entrar no prédio.

A medida foi tomada pelo presidente do tribunal, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, com base no plano que está sendo elaborado pelos órgãos da segurança pública do Rio Grande do Sul e a Polícia Federal. No dia anterior ao julgamento de Lula , o expediente será de meio período, das 8h às 12h. Os prazos processuais e as intimações nos processos, tanto físicos quanto eletrônicos, serão suspensos por dois dias e retomados no dia 25, uma quarta-feira.

A 8ª Turma do tribunal é a responsável pelos recursos da Operação Lava Jato na segunda instância da Justiça Federal. O relator da apelação é o desembargador João Pedro Gebran Neto. O colegiado também é composto pelos desembargadores Leandro Paulsen e Victor Laus.

Leia também: Bolsonaro usa verba da Câmara para pagar funcionária fantasma, aponta jornal

Ex-presidente vai a julgamento

No início do ano, o ex-presidente informou a dirigentes do seu partido que pretende ir a Porto Alegre , no Rio Grande do Sul, por volta dos dias 22 e 23 de janeiro. Com a viagem, o objetivo do petista seria acompanhar de perto o seu julgamento em segunda instância pelo TRF4, que acontece no dia 24.

O julgamento do ex-presidente será crucial para o futuro político do petista, que foi condenado, em primeira instância, a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá.

A defesa do ex-presidente recorreu da decisão e, dependendo da sentença escolhida pelo  TRF4 , o petista pode ser impedido de disputar a eleição presidencial.

Se candidato, o ex-presidente tem grandes chances de ser reeleito. Pelo menos, isso é o que revela as últimas pesquisas eleitorais dos principais indicadores nacionais – Datafolha e Ibope.

Leia também: Rodrigo Maia (DEM) cogita se candidatar à presidência da República

Porém, se a candidatura de Lula for recusada, o partido ainda não tem uma segunda opção de igual força para concorrer à Presidência. O prefeito de Porto Alegre não chegou a comentar, em seus ofícios, especificamente a presença do ex-presidente petista na cidade no dia do julgamento.

* Com infomações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.