São Paulo registra deficit de 44 mil vagas em creches na gestão Doria

Promessa de zerar fila de espera de creches no primeiro ano de gestão não se concretizou; nova proposta prevê zerar o deficit até março de 2018
Foto: Reprodução/TV Globo - 02.01.2017
Em sua campanha, Doria afirmou que iria zerar a fila de espera por creches na capital até dezembro de 2017

O discurso de João Doria (PSDB) de quando disputava a Prefeitura de São Paulo precisou mudar. Enquanto tentava se eleger, o tucano prometeu, entre tantos outros avanços na Educação, que iria zerar a fila de espera por creches na capital até dezembro de 2017. Porém, a palavra do prefeito não foi cumprida, e atualmente 44.094 crianças de 0 a 3 anos ainda estão aguardando por uma vaga, conforme informou a Secretaria Municipal da Educação de São Paulo na última quinta-feira (28).

Leia também: Alckmin supera Doria na preferência dos paulistanos para a Presidência

De acordo com a pasta, mesmo com o deficit de 44 mil vagas, essa é a menor demanda desde que o relatório começou a ser divulgado pela gestão municipal, em 2007. Os dados, que consideram informações referentes ao mês de dezembro, quando é registrada a saída dos alunos que vão para a pré-escola, já chegaram a apontar 101.165 crianças sem creche, em 2011.

Para cumprir com o compromisso assumido na época das eleições com os munícipes, Doria teria que criar nos últimos 12 meses 65.040 vagas - que correspondem ao déficit de 2016. No entanto, durante 2017 a prefeitura só conseguiu abrir pouco mais de 20 mil vagas.

Agora, para conseguir zerar as filas, Doria prometeu entregar o restante das vagas até 30 de março de 2018. O objetivo consta no Programa de Metas da prefeitura, já atualizado para este ano.

Promessa

Quando se comprometeu a diminuir o deficit, Doria afirmou que uma das estratégias para a expansão de vagas seria a realização de parcerias com o setor privado. No entanto, os acordos não avançaram conforme o gestor esperava em seu primeiro ano no comando da cidade.

Leia também: Aprovação de João Doria registra queda de nove pontos, diz Datafolha

Segundo a promessa, a ideia era que, em seu mandato, o tucano abriria unidades escolares para crianças de 0 a 3 anos em agências bancárias, estações de Metrô e CPTM e terminais de ônibus, e também buscaria doações de terrenos para construir novas creches. Porém, até o momento a palavra do atual prefeito de São Paulo não foi honrada no que diz respeito a essas medidas.

Leve Leite

Um dos argumentos que também foram usados para aumentar as vagas em creches seria a mudança feita no programa Leve Leite. Na gestão Doria, as crianças maiores de 7 anos deixaram de receber o benefício. Sendo assim, apenas as crianças de até 6 anos, que comprovarem renda familiar mensal de até R$ 2.811.

A redução fez com que 693 mil alunos fossem excluidos do programa. Quando anunciou a nova alteração, Doria havia dito que até julho iria estender o benefício às famílias inscritas em programas sociais, como o Bolsa Família. Entretanto, a gestão disse que a inclusão ficaria para 2018.

Leia também: Doria assina lei que libera a privatização de parques, terminais e bilhete único

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-01-04/creches-doria-deficit-vagas.html