Indicado para ser o novo ministro de Temer votou contra a deposição de Dilma

Investigado no STF, deputado Pedro Fernandes foi apontado pelo PTB para assumir a pasta do Trabalho, até então chefiada por Ronaldo Nogueira
Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados - 10.5.16
Deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) foi o indicado pelo seu partido para assumir Ministério do Trabalho

O Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) indicou o deputado federal Pedro Fernandes (MA) para assumir o Ministério do Trabalho, cuja chefia ficou vaga após Ronaldo Nogueira ter pedido demissão ao presidente Michel Temer nessa quarta-feira (27) .

Hoje candidato a se tornar o mais novo ministro de Temer , Pedro Fernandes era contra a alçada do peemedebista ao posto de presidente da República. Isso porque, em abril do ano passado, o deputado votou contra a abertura do processo de impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT).

Mas Fernandes já recuperou o crédito com o presidente ao votar contra a rejeição das duas denúncias oferecidas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Michel Temer. O deputado do PTB também apoiou a proposta de reforma trabalhista quando ela foi votada no plenário da Câmara.

Leia também: Em pronunciamento, ministro do Trabalho diz que Reforma Trabalhista gera emprego

Quem é o possível novo ministro do Trabalho

Formado em Engenharia Civil, o deputado de 68 anos de idade está na Câmara dos Deputados há cinco mandatos consecutivos, desde 1999, tendo se afastado por duas vezes de suas funções parlamentares para assumir cargos no poder Executivo.

O deputado é alvo de investigação mantida sob sigilo no Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com a reportagem do jornal O Estado de S.Paulo , o processo se trata de ação por suposto crime de peculato cometido em 2008, quando Fernandes supostamente teria nomeado um funcionário fantasma para seu gabinete na Câmara dos Deputados.

O parlamentar já foi filiado ao PSDB, ao PSD e ao PFL até ingressar, em 2003, nos quadros do PTB, legenda presidida por Roberto Jefferson – o ex-deputado que denunciou o mensalão e posteriormente foi condenado no STF no âmbito daquela ação penal.

O até então ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, decidiu abandonar a pasta para se dedicar às eleições do ano que vem, quando ele voltará a se candidatar ao cargo de deputado federal pelo PTB, partido ao qual é filiado no Rio Grande do Sul.

Leia também: Ministro do STF concede liberdade a Henrique Pizzolato, condenado no Mensalão

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-12-28/ministro-do-trabalho-impeachment.html