Herdeiro da construtora Odebrecht vai passar a cumprir o resto da sua pena em regime domiciliar; ele deve ficar com tornozeleira eletrônica até 2020

Marcelo Odebrecht será escoltado até a Justiça Federal, onde passará por audiência e colocará tornozeleira eletrônica
Reprodução/Twitter
Marcelo Odebrecht será escoltado até a Justiça Federal, onde passará por audiência e colocará tornozeleira eletrônica

Depois de passar dois anos e meio preso, Marcelo Odebrecht, herdeiro da maior empreiteira do Brasil , deixou a cadeia e vai voltar para sua mansão, nesta terça-feira (19), onde passará a cumprir o resto da sua pena em prisão domiciliar.

Leia também: Odebrecht apresenta à PF recibos de doações de R$ 4 milhões ao Instituto Lula

Após deixar, por volta das 10h desta terça, a superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde passou a maior parte dos seus dias preso, Marcelo Odebrecht  foi escoltado até a Justiça Federal, onde passa por uma audiência e colocará a sua tornozeleira eletrônica.

O equipamento acompanhará Odebrecht pelos próximos dois anos e meio, enquanto ele cumprirá o resto de sua pena em sua casa, no bairro do Morumbi , em São Paulo.

O próprio condenado é quem terá a responsabilidade de manter a tornozeleira sempre em bom estado e carregada de bateria por esse tempo.

Histórico

O herdeiro da construtora Odebrecht estava preso desde junho do ano passado no Paraná, sob suspeita de envolvimento no esquema de desvios da Petrobras. 

Em novembro de 2016, os advogados da empreiteira fizeram um acordo com o Ministério Público Federal, por meio de delação premiada . Na negociação, ficou acertado que a pena total de Marcelo será de dez anos, sendo dois anos e meio em regime fechado.

A partir de dezembro de 2017, portanto, o empresário entraria em progressão de regime, cumprindo pena no semiaberto e aberto, inclusive o domiciliar, que é o que ele vai começar a cumprir a partir de agora.

Mansão de Odebrecht

A nova prisão do empresário é uma casa de mais de mil metros quadrados, com piscina, ampla área de lazer, elevador e uma área de cozinha maior que toda carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, onde passou últimos três aniversários. Com 49 anos de idade, o neto do fundador Norberto Odebrecht está em contagem regressiva.

Pelo acordo de delação premiada fechado com o Ministério Público, Marcelo Odebrecht só terá o direito de pisar na rua, sem qualquer tipo de monitoramento, depois de 5 anos de prisão, portanto, em 2020. A liberdade para o empresário, que já foi considerado um dos homens mais influentes do País, só virá em 2025, quando terá cumprido os 10 anos de pena - equivalente a um terço dos 30, máximo acordado na delação.

Leia também: Marcelo Odebrecht confirma que Lula é o "amigo" citado em planilhas de propinas

* Com informações do jornal O Dia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.