Possível julgamento da candidatura de Lula pode acontecer antes das eleições

Se o ex-presidente for condenado criminalmente pelo TRF-4 no caso do tríplex do Guarujá, possível contestação de sua candidatura será votada pelo TSE antes mesmo do primeiro turno, avaliam os técnicos do tribunal
Foto: Reprodução
Defesa de Lula poderá recorrer caso ele seja proibido de se candidatar à presidência em 2018 pelo TSE

Caso o Tribunal Regional Federal (TRF) mantenha a condenação de Lula no caso do tríplex de Guarujá, em São Paulo, a corte do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deverá julgar uma provável contestação antes do primeiro turno, conforme afirmaram integrantes da área técnica do tribunal. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Leia também: Justiça marca para fevereiro depoimento de Lula na Operação Zelotes

A condenação da primeira instância poderá se dar no dia 24 de janeiro, quando está marcado o julgamento de Lula pelo TRF-4. Caso isso aconteça, o petista ficará com a ficha suja – o que não o impede, perante ao TSE, que ele se candidate para a presidência da República em 2018. No entanto, o Ministério Público ou seus adversários estão aptos para contestar o pleito do ex-presidente.

De acordo com os técnicos do tribunal, o julgamento do TSE será acelerado, já que se trata de um processo sobre candidatura à presidência, que tem início na corte. Se fosse um caso de governador, por exemplo, o processo seria iniciado nos Estados, o que faria com que o tempo até chegar ao TSE dobrasse. Outro motivo é que, como é um caso de vulto, é difícil que haja protelação.

Segundo a corte, a expectativa é de que o caso se encerre até o dia 20 de setembro, quando Lula já teria aparecido como candidato nos programas de TV por, no mínimo, duas semanas, já que o primeiro turno está previsto para 7 de outubro.

Leia também: Tribunal nega acesso da defesa de Lula a sistema da Odebrecht

Recurso

É possível que caiba recurso da eventual decisão do TSE, porém, na avaliação dos técnicos, esses questionamentos não chegam ao Supremo Tribunal Federal (STF), pois, é possível recorrer ao Supremo de decisões que vão contra a Constituição, e a inelegibilidade baseada na na Lei da Ficha Limpa é infraconstitucional.

Entretanto, é possível que a defesa do ex-presidente alegue inconstitucionalidades no processo. No âmbito do TSE também é possível haver recurso, porém o prazo de análise costuma ser de até uma semana.

Leia também: Defesa de Lula apresenta perícia realizada em 31 recibos de aluguel

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-12-16/lula-candidatura-tse.html