Ministro tucano Imbassahy pede exoneração do governo Temer

Em carta, ele afirma que foi "uma honra" atuar na articulação política do governo após o impeachment de Dilma; tucano assumirá cadeira na Câmara
Foto: Agência Câmara
Com a sua saída do primeiro escalão do governo, Antonio Imbassahy voltará a assumir o mandato de deputado federal

O ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB), entregou uma carta ao presidente Michel Temer, nesta sexta-feira (8), em que pede a sua exoneração do cargo. O pedido foi aceito pelo peemedebista que agradeceu ao tucano "pelo que fez pelo nosso governo e pelo País".

Leia também: "PSDB não está mais na base de sustentação do governo", afirma ministro

Na carta, Imbassahy , que assumirá seu mandato de deputado federal, escreveu que deseja continuar contribuindo para a gestão Temer na Câmara. 

“Fazer parte do seu governo foi, para mim, uma honra. Atuar na articulação política em um período de radicalização pós-impeachment, com uma grande fragmentação partidária, em meio a enormes dificuldades econômicas e fiscais, representou um grande desafio”, afirma o tucano.

A saída do ministro vinha sendo articulada desde novembro, quando o PSDB iniciou o movimento de desembarque do governo Temer. Além disso, a carta foi entregue um dia antes da Convenção Nacional do PSDB, em que deve ser oficializada a saída do partido da base aliada do peemedebista.

Carlos Marun

Recentemente, chegou a  circular a notícia de que o presidente havia removido o representante tucano para colocar, em seu lugar, o deputado Carlos Marun (PMDB-RS) – que agora deve assumir o posto na Secretaria de Governo.

Polêmico, o deputado Marun foi o principal nome da 'tropa de choque' de Eduardo Cunha na Câmara, inclusive na votação que culminou na cassação do mandato do ex-presidente da Casa. Marun esteve entre os dez deputados que votaram contra a perda do mandato de Cunha (450 votaram a favor) e foi o único a utilizar a tribuna da Casa para defender o colega. Depois de preso, Cunha ainda recebeu visitas de Carlos Marun em Curitiba.

Ainda na lista dos "feitos" do deputado do Mato Grosso do Sul, está o destaque de seu trabalho interno pelo arquivamento das duas denúncias da Procuradoria-Geral da República contra Temer. Inclusive, quando a segunda denúncia foi derrubada, Marun 'esnobou' a oposição e chegou a fazer uma 'dancinha da pizza' no plenário da Câmara em comemoração ao resultado.

Contudo, apesar do movimento da mídia, ainda não há confirmação oficial sobre a posse de Marun após a saída de Imbassahy.

Leia também: Quem é Carlos Marun, o defensor solitário de Cunha na sessão de cassação

* Com informações da Agência Ansa

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-12-08/imbassahy-deixa-governo.html