"Vamos fazer o possível e o impossível", diz Temer sobre reforma da Previdência

De acordo com o presidente, governo vai verificar "até quinta ou sexta-feira" se conquistou o apoio necessário para aprovação da reforma da Previdência
Foto: Beto Barata/PR - 5.12.16
Presidente Michel Temer pretende levar votação para o plenário da Câmara ente os dias 12 e 14 de dezembro

O presidente Michel Temer garantiu que vai fazer "o possível e o impossível" para aprovar a reforma da Previdência . As afirmações foram realizadas durante entrega de residências do programa Minha Casa Minha Vida em Limeira, no interior de São Paulo.

Leia também: "Conte conosco", diz Alckmin a Temer sobre permanência do PSDB na base aliada

Segundo o presidente, o governo vai verificar "até quinta ou sexta-feira" se já conta com o apoio necessário para obter um resultado positivo na votação da reforma, que ocorrerá na Câmara dos Deputados. Temer mostrou otimismo em conversa com jornalistas após o evento de entrega das casas. "Acho que nós poderemos sensibilizar [a Câmara]", afirmou.

A intenção do governo é levar a proposta ao plenário da Câmara entre os dias 12 e 14 de dezembro. "Teremos reunião com o presidente da Câmara e do Senado, que estão entusiasmados. Entusiasmados em nome do Brasil", prosseguiu o presidente.

Leia também: Mesmo presa, registro da OAB de Adriana Ancelmo está ativo no site da entidade

Entenda a situação

A reforma da Previdência se trata de uma proposta de emenda à Constituição (PEC). Por este motivo, é necessário que o projeto seja aprovado em duas votações distintas, que acontecem na Câmara e no Senado. Na primeira fase, é necessário conquistar ao menos 308dos 513 deputados para que o texto siga adiante.

O presidente da Câmara , Rodrigo Maia (DEM-RJ) demonstrou pessimismo com a aprovação. Recentemente, Maia afirmou que "falta muito voto" para que a proposta obtenha autorização para seguir ao Senado. Ele disse ainda que só pretende pautar o projeto no plenário quando puder assegurar que o governo tem o apoio necessário para que a reforma seja aprovada. Caso isso não aconteça, é possível que a votação fique para o próximo ano.

Leia também: Reforma tributária de Trump é aprovada pelo Senado americano

Para buscar o apoio que precisa, o governo vai procurar as lideranças dos partidos que fazem parte da base aliada para conversas ao longo da semana. Já no próximo domingo (3), Temer deve encontrar ministros e aliados durante o almoço, a fim de debater o cenário político e a reforma da Previdência. Na parte da noite, o presidente deve visitar a residência oficial de Rodrigo Maia para falar sobre o projeto.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-12-02/temer-previdencia.html