Papel avisaria que presos estariam tramando algo contra ele; ex-governador já disse ter sido agredido na prisão e está atualmente em Bangu

Anthony Garotinho e esposa foram presos por suspeita de corrupção, organização criminosa e irregularidades em contas eleitorais
Inácio Teixeira/Coperphoto - 26.9.14
Anthony Garotinho e esposa foram presos por suspeita de corrupção, organização criminosa e irregularidades em contas eleitorais

O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, preso no complexo de Bangu, no Rio de Janeiro, disse que recebeu um bilhete que avisava que presos do presídio de Benfica estariam tramando algo contra ele. A informação é da TV Globo. A declaração foi feita durante um depoimento, nesta quinta-feira (30), à Justiça.

Garotinho ficou inicialmente em Benfica, onde adversários políticos, como Sérgio Cabral, estão encarcerados. Foi a própria defesa de Garotinho que solicitou o novo depoimento, pois ele queria contar "fatos novos" sobre a lesão que alega ter sofrido na cela do presídio.

O político se negou a dizer qual era exatamente o conteúdo do bilhete, mas explicou que ao ser transferido da galeria A para a B em Benfica, uma pessoa se aproximou como se fosse se despedir, deu um papelzinho e afirmou que ele “iria confortar seu coração”. Garotinho acreditou que se tratava de um salmo bíblico, mas ao olhar o papel, já em Bangu, viu o seu teor de aviso sobre outros presos de Benfica. O papel seria pequeno, sem pauta, com um escrito feito à caneta azul.

Ainda de acordo com a emissora, o ex-governador pediu também que a polícia ouça outros presos da galeria A de Benfica, onde ficou, “pra saber se escutaram gritos”.

Agressão

Imagens divulgadas pela equipe de Anthony Garotinho mostram ferimentos do ex-governador
Reprodução
Imagens divulgadas pela equipe de Anthony Garotinho mostram ferimentos do ex-governador

No caso da agressão, de acordo com a versão apresentada pelo ex-governador, um homem de aproximadamente 1,70m de altura teria invadido sua cela no presídio de Benfica na madrugada de quinta para sexta-feira (24).

Garotinho disse que o sujeito portava algo parecido com um taco de beisebol, usado para desferir um golpe em seu joelho, e chegou a apontar uma arma para ele. O agressor ainda teria dito: "Você gosta muito de falar, não é? Só não vou te matar para não sujar o pessoal aqui do lado".

Ao pronunciar essa segunda frase, segundo o ex-governador, o homem fez um gesto indicando as outras galerias da cadeia de Benfica, onde estão detidos desafetos políticos de Garotinho como Sérgio Cabral (PMDB), o próprio Sérgio Côrtes, e o presidente da Assembleia Legislativa do RJ (Alerj), deputado Jorge Picciani (PMDB).

No entanto, nenhuma das sete testemunhas ouvidas até o momento corroborou com a versão apresentada por ele.

Anthony e Rosinha Garotinho foram presos no dia 22 de novembro, acusados de corrupção passiva, extorsão qualificada com uso de arma de fogo, crimes eleitorais, falsidade eleitoral, crime de caixa dois e organização criminosa, incluindo extorsão de empresários junto à prefeitura de Campos dos Goytacazes, no norte do Rio.

Os dois foram denunciados pelo Ministério Público Eleitoral do Rio após informações dadas por empresários da JBS, que afirmaram ter repassado dinheiro a Garotinho, em sua campanha eleitoral ao governo do estado, em 2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.