Bolsonaro declara sair do PSC e diz que negocia com mais de um partido

Deputado afirma que está "namorando o Patriotas", mas sabe de problemas do partido; no entanto, político afirma que tem outras legendas interessadas

Em uma visita a Uberlândia, em Minas Gerais, nesta quinta-feira (19) o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) disse estar “namorando o Patriotas”, porém, não negou flertar com outros partidos. "Sei que ele [o partido] tem alguns problemas, mas estou junto ao presidente Adilson Barroso para solucionar. Se não solucionar, como sou paraquedista, já tenho outro em vista", afirmou.

Leia também: Por unanimidade, STJ mantém condenação de Bolsonaro por ofensas a deputado

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil - 22.06.2016
Deputado Jair Bolsonaro participa de evento e manifesta sua opinião política e econômica e é ovacionado por empresários

Bolsonaro já havia sinalizado que pretende sair do PSC. O deputado afirmou que seu desligamento deverá acontecer em março, que é quando a lei de fidelidade partidária possibilita filiação a outra sigla.

O político também disse que deverá manter o voto a favor do prosseguimento com as investigações contra o presidente da República, Michel Temer. A segunda denúncia contra o peemedebista será discutida em plenário na próxima quarta-feira (25), mesmo com a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) tendo aprovado o arquivamento do processo.

Eleições 2018

Durante o evento, o deputado participou de um debate promovido pelo G7, grupo  composto por entidades de representação de classe local, no qual deu sua opinião sobre temas como economia, política e alternativas relacionadas a avanços para o País.

Leia também: Condenado na Lava Jato, Lula lidera pesquisa eleitoral em todos os cenários

O público, maioria formado por empresários e convidados, recebeu o discurso com aplausos e ovacionou Bolsonaro, que, apesar da postura política de campanha, não confirmou sua candidatura à Presidência da República nas eleições de 2018.

Em seu discurso, ele defendeu o porte de armas para todos os cidadãos, a excludente de ilicitude em homicídios cometidos pela Polícia Militar e a defesa da propriedade provada com armas. "Se um cidadão tem sua casa ou terra invadida, ele tem que ter o direito de abrir fogo contra o invasor", declarou ele.

Para finalizar, Bolsonaro também defendeu seu posicionamento favorável ao do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no que diz respeito aos imigritantes, e ainda disse que pretende seguir algumas condutas do polêmico presidente americano. "Quem quiser vir de outro país morar aqui vai ter que se submeter a critérios rigorosos, porque eu não posso prejudicar o meu povo para que outros sejam atendidos".

Leia também: Filho de Bolsonaro e senador Malta lideram votações do Congresso em Foco

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-10-19/bolsonaro-partidos-patriotas.html