Encontro contou com a presença de 19 ministros e 17 parlamentares; Temer também expôs dados sobre a economia e pediu apoio para aprovar reformas

Presidente Michel Temer promoveu um café da manhã no Palácio da Alvorada nesta quarta-feira
Divulgação/Palácio do Planalto
Presidente Michel Temer promoveu um café da manhã no Palácio da Alvorada nesta quarta-feira

Em um grande e imponente café da manhã, o presidente da República, Michel Temer, recebeu, na manhã desta quarta-feira (13), líderes de partidos da base aliada do governo na Câmara dos Deputados para pedir apoio para a aprovação das reformas propostas pelo governo e para orientar que todos os presentes passem a rebater as críticas feitas à gestão de Temer.

Leia também: Barroso pede abertura de inquérito para investigar Temer por corrupção e lavagem

Também participaram do café da manhã no Palácio da Alvorada ministros de Michel Temer . Ao todo, foram ao encontro 19 ministros e 17 parlamentares. 

O presidente aproveitou o encontro ainda para fazer uma apresentação do desempenho positivo da economia. Temer comparou dados de antes do início de seu governo com os dos dias atuais, com melhora em itens como a inflação, os juros, o emprego, a produção industrial, com destaque para a produção de veículos.

Temer pediu também aos parlamentares que apresentem esses dados positivos da economia a suas bancadas no Congresso e acrescentem as previsões de melhora esperadas.

'Não pode se aquietar'

No discurso inicial do café da manhã, Temer pediu os parlamentares que incentivem deputados e senadores a fazerem um “discurso de rebate” e não se aquietem quando ouvirem críticas.

Leia também: Para PF, há indícios de organização criminosa formada por Temer e peemedebistas

“Muitas vezes vejo que a pessoa vai para um lugar, ouve uma coisa negativa e se aquieta, fica em silêncio. Não pode se aquietar. Vejam nosso exemplo, não nos aquietamos. Porque pensamos, enquanto as pessoas vão protestando, a caravana vai passando porque nosso objetivo é governar, pensar no Brasil. E é esse o legado que queremos deixar”, disse.

Reformas e economia

Temer disse, durante o encontro, que pretende fazer outras reuniões com os parlamentares para discutir a simplificação tributária e também a reforma da Previdência, que, segundo ele, será levada adiante.

“As pessoas já começam perceber que é fundamental fazer-se uma reforma agora e, certa e seguramente, fazendo-a agora, ainda será preciso daqui a três, quatro anos, fazer uma atualização”, afirmou.

No fim do café da manhã, o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, afirmou, enquanto deixava o Palácio da Alvorada, que, com os dados sobre a economia, o presidente mostrou aos parlamentares que o Brasil está em um outro rumo.

Leia também: "Facínoras roubam do país a verdade", diz Planalto após PF ligar Temer a crimes

Quintella lembrou a busca de apoio no Congresso Nacional para a aprovação das reformas. “O governo pediu apoio ao Congresso Nacional para dar sequência às reformas. Mostrou os benefícios que as reformas que já foram feitas trouxeram ao país e a necessidade que temos de tocar a simplificação do nosso sistema tributário e também a reforma da Previdência”, disse.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.