Ex-presidente presta depoimento a Moro pela segunda vez nesta quarta-feira; acusações de ex-ministro pesam contra o petista em ação da Lava Jato

Lula é recebido por militantes na chegada para depoimento ao juiz Sérgio Moro; nas redes sociais internautas fazem tuitaço
Ricardo Stuckert - 13.9.17
Lula é recebido por militantes na chegada para depoimento ao juiz Sérgio Moro; nas redes sociais internautas fazem tuitaço

As redes sociais amanheceram agitadas com o segundo depoimento que o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz federal Sérgio Moro, que durou por volta de duas horas nesta quarta-feira (13), na sede da Justiça Federal em Curitiba. Internautas a favor do petista realizaram um “tuitaço” com a hashtag “tôcomlula”, que acabou sendo utilizada também por pessoas contrárias ao ex-presidente. Até o início desta tarde o assunto ficou no topo dos mais comentados do Twetter.

Diversos deputados do PT e perfis de partidos de esquerda no Twitter colaboraram para a hashtag em apoio a Lula chagasse aos Trends Topics da rede social.  Enquanto isso, em frente ao local do depoimento do ex-presidente, uma multidão de manifestantes se formava , contrários e a favor do petista.


O ex-presidente chegou à capital paranaense por volta da meia-noite desta terça-feira (12), após dispensar o uso de um avião particular, chegando de carro. Nesta quarta, o petista depõe ao juiz federal Sérgio Moro, no segundo processo em que é réu na Justiça Federal do Paraná.

Investigação

O interrogatório se dá no âmbito de ação penal que apura se a compra de um terreno supostamente destinado à instalação da sede do instituto do petista em São Paulo e de um apartamento em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, foram contrapartidas oferecidas pela Odebrecht em troca de vantagens em negócios com o governo federal.

Esse é o segundo encontro cara a cara entre o ex-presidente e o juiz em Curitiba. O primeiro interrogatório ocorreu há quatro meses, no dia 10 de maio, quando o petista passou quase cinco horas respondendo sobre a compra e reforma pela OAS de um tríplex no Guarujá, no litoral de São Paulo.

Na ocasião, o ex-presidente acabou condenado a 9 anos e 6 meses de prisão – sentença que foi contestada pela defesa no início desta semana no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Leia também: "Maior vítima dos irmãos Batista é o próprio País", diz delegado da PF

Lula é acusado nessa ação penal de ter cometido crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro nos episódios envolvendo a compra do terreno na Vila Clementino, na zona sul da capital paulista, e de um apartamento em frente ao imóvel onde ele próprio mora, em São Bernardo do Campo. A força-tarefa de procuradores da Lava Jato acredita que foram pagos R$ 12,4 milhões em vantagens indevidas ao petista.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.