Tamanho do texto

Nas imagens reveladas em delação premiada e divulgadas pela Globo, Silval Barbosa entrega o prefeito de Cuiabá, a prefeita de Juara e outros deputados

Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, é filmado recebendo propina em vídeo que faz parte da delação de Silval Barbosa
Reprodução/TV Globo
Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, é filmado recebendo propina em vídeo que faz parte da delação de Silval Barbosa

Dizem que uma imagem fala mais que mil palavras. Por conta disso, a delação premiada do ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB) chocou os internautas e amanheceu sendo um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Afinal, nesta quinta-feira (25), o Jornal Nacional , da Rede Globo , divulgou imagens de vídeos entregues por Barbosa ao Ministério Público Federal (MPF), que revelam entrega de propina por meio de imagens.

Leia também: JBS distribuiu R$ 1,1 bilhão em propina a 27 partidos do País, segundo revista

Nas gravações, o então chefe de gabinete do governador, Silvio Cesar, é visto entregando muito dinheiro a uma série de políticos. Segundo Silval Barbosa , as imagens foram gravadas pelo próprio chefe de gabinete. E o dinheiro, ainda de acordo com a delação, fazia parte de um esquema de entrega de propina que envolvia uma série de políticos do estado.  

Uma das pessoas que aparece recebendo dinheiro é o atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB). No vídeo, ele aparece colocando os maços de dinheiro no paletó e até se atrapalha, derrubando parte das notas no chão. 

Além dele, o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP) também é um dos gravados. Ele recebeu o dinheiro em uma caixa de papelão. Já o então deputado estadual Hermínio Barreto (PR) leva uma mala, onde coloca os maços.

A atual prefeita de Juara, Luciane Bezerra (PSB), também aparece nos vídeos e é filmada guardando o dinheiro na bolsa. O ex-deputado estadual Alexandre César (PT) recebe o dinheiro e o coloca em uma mochila.

Leia também: Rocha Loures devolve os R$ 35 mil que faltavam em mala de propina da JBS

A delação premiada do ex-governador foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no último dia 9. Ele foi preso em 2015 pela Operação Sodoma e é suspeito de chefiar uma organização criminosa, mas cumpre prisão domiciliar, com uma tornozeleira eletrônica.

Ninguém se diz culpado

Em resposta à reportagem, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, disse que não fez nada ilícito e que vai comprovar isso na Justiça. Luciane Bezerra diz que recebeu dinheiro para quitar dívidas de campanha eleitoral. Além disso, o advogado de Silvio Cesar disse que não pode comentar porque a delação está sob sigilo. 

Silval Barbosa ainda citou em sua delação o ministro da Agricultura, Blairo Maggi. Segundo o ex-governador de Mato Grosso, ele estaria envolvido em um esquema de corrupção no estado.

Leia também: Imagens mostram a entrega de propina aos indicados de Temer e Aécio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.