STF abre inquérito para investigar crimes citados por ex-governador de MT

Silval Barbosa está preso desde 2015 e fechou acordo de delação premiada com a PGR; ele entregou gravações em vídeo de políticos recebendo propina
Foto: Reprodução/TV Globo
Prefeito de Cuiabá é filmado recebendo propina em vídeo que faz parte da delação de ex-governador do Mato Grosso

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de inquérito para investigar as declarações do ex-governador do Mato Grosso Silval Barbosa sobre o funcionamento de um suposto esquema de corrupção no estado entre 2004 e 2014.

O ex-governador do Mato Grosso fechou acordo de colaboração com a Procuradoria-Geral da República (PGR), e o conteúdo dos depoimentos foi tornado público nesta sexta-feira (25)  após a retirada do segredo de Justiça.

No pedido de investigação enviado ao Supremo, a PGR cita que empresários e políticos locais formaram uma organização criminosa para garantir a "manutenção da governabilidade e para o pagamento de dívidas de campanha”. Segundo a acusação, políticos cobravam propina em obras do governo.

"A organização criminosa, por meio de seus integrantes que exerciam funções como agentes políticos e/ou servidores públicos, solicitavam propina ou 'retorno' de pagamentos devidos pelo estado às empresas contratadas para a execução de obras e serviços", diz a PGR. A investigação ainda não tem prazo para terminar e será conduzida pela Polícia Federal no MT.

Gravações

Silval Barbosa entregou ao Ministério Público Federal (MPF) imagens de vídeos, que revelam entrega de propina. Nas gravações, o então chefe de gabinete do governador, Sílvio Cesar, é visto entregando muito dinheiro a uma série de políticos.

Leia também: MPF homologa acordo de leniência e aplica multa de R$ 10,3 bilhões à JBS

Segundo Barbosa, as imagens foram gravadas pelo próprio chefe de gabinete. E o dinheiro, ainda de acordo com a delação, fazia parte de um esquema de entrega de propina que envolvia uma série de políticos do estado. Uma das pessoas que aparece recebendo dinheiro é o atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB).

No vídeo, ele aparece colocando os maços de dinheiro no paletó e até se atrapalha, derrubando parte das notas no chão. Além dele, o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP) também é um dos gravados. Ele recebeu o dinheiro em uma caixa de papelão. Já o então deputado estadual Hermínio Barreto (PR) leva uma mala, onde coloca os maços.

A atual prefeita de Juara, Luciane Bezerra (PSB), também aparece nos vídeos e é filmada guardando o dinheiro na bolsa. O ex-deputado estadual Alexandre César (PT) recebe o dinheiro e o coloca em uma mochila.

Leia também: Rocha Loures devolve os R$ 35 mil que faltavam em mala de propina da JBS

A delação premiada do ex-governador do Mato Grosso foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no último dia 9. Ele foi preso em 2015, pela Operação Sodoma, e é suspeito de chefiar uma organização criminosa , mas cumpre prisão domiciliar, com uma tornozeleira eletrônica.

* Com informações da Agência Brasil

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-08-25/mato-grosso-propina-stf.html