Fábio Faria (PSD) e a apresentadora foram citados como presentes em um jantar na casa de Joesley Batista; no evento, casal teria recebido propina

Em programa no SBT, Patrícia Abravanel se desculpou por comentários homofóbicos; ela foi citada em delação da J&F
Reprodução
Em programa no SBT, Patrícia Abravanel se desculpou por comentários homofóbicos; ela foi citada em delação da J&F

O deputado Fábio Faria (PSD) e a sua esposa, a apresentadora Patrícia Abravanel, vão tentar anular, na Justiça, parte do depoimento prestado durante a delação do executivo do grupo J&F, Ricardo Saud. 

Leia também: Temer é "chefe da maior organização criminosa", diz Joesley a revista

O depoimento de Saud foi data à Justiça em maio deste ano. Em sua delação, o executivo conta que pagou propina para o deputado, em um acerto que foi feito em um jantar, na casa do executivo Joesley Batista – um dos donos da JBS. De acordo com Saud, Patrícia Abravanel estava no evento. 

"Foi um jantar muito elegante, até. Foi o Fábio Faria com a noiva dele, a Patrícia Abravanel, filha do Silvio Santos; foi o Robson Faria com a esposa dele; nós todos com as esposas, tal, pra tratar de propina ", afirmou Saud, em seu depoimento. 

De acordo com a reportagem do Jornal Hoje , da TV Globo , que teve acesso à delação, em troca da propina, uma empresa do grupo J&F ficaria com o controle do serviço de água e esgoto do Rio Grande do Norte, que estava controlado pela família do deputado Fábio Faria, filho do atual governador do estado, Robson Faria.

Leia também: Defesa de Rocha Loures pede ao STF que processo não vá para Justiça Federal

Ainda na delação, Saud afirmou que o dinheiro pago em propina foi em torno de R$ 10 milhões. Porém, mesmo com a propina paga, a J&F desistiu de tocar o negócio na área de água e esgoto.

Defesa do político e da apresentadora

Contrários às informações cedidas na delação, o deputado e sua esposa entraram com uma ação, na Justiça de São Paulo, em que pedem uma indenização de R$ 300 mil por danos morais. Os advogados argumentam que não houve conversa sobre propina no jantar e que o depoimento é "calunioso e causou danos", atingindo "a honra e a dignidade" dos citados.

Além disso, o casal pretende entrar com uma ação criminal no Supremo Tribunal Federal (STF), que deve ser apresentada na próxima semana. 

A defesa do casal afirma que a principal prova incluída nas ações é uma mensagem de voz que Patrícia recebeu da jornalista e também apresentadora, Ticiana Villas Boas , esposa de Joesley, depois da delação. Na mensagem, Ticiana se solidariza com a colega. 

"Oi, Pati, sou eu, Tici. É, tô ligando pra você e mandando essa mensagem pra te falar do meu apoio. Então, o que eu quero falar é que eu acho um absurdo isso tudo que tá acontecendo. Aquele jantar, imagina só, não tem nada a ver com o que falaram. Foi um jantar normal, eu não vi nada de dinheiro, nada que beirasse ser ilícito. Se você for chamada pra depor, eu vou ser... ou tiver qualquer tipo de implicação para você, eu sou sua testemunha de defesa e vou deixar claramente que é um absurdo", afirmou Ticiana, que procurada, confiirmou a veracidade da mensagem.

"Nós estamos falando do áudio da esposa do maior acionista do grupo JBS, casada com Joesley Batista , que desmente taxativamente o que o Ricardo disse no seu depoimento ao Ministério Público. Portanto a maior prova, a prova cabal, a prova que desmente o que Ricardo disse é o depoimento da Ticiana", disse à reportagem o advogado José Luís Oliveira Lima, que representa o casal.

Leia também: Joesley Batista presta depoimento por cerca de 2 horas à Polícia Federal em SP

A defesa de Patrícia Abravanel afirmou que o depoimento do executivo da J&F é "eivado de má-fe". Além disso, afirmou que, ao tudo indica, "no afã de tornar a delação mais vistosa ou atraente por se tratar a autora de pessoa famosa, o réu envolve a autora em situação que não lhe diz respeito".

    Leia tudo sobre:
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.