Tamanho do texto

Futura procuradora-geral da República esteve no Palácio do Jaburu após às 22h de ontem, mesmo dia em que defesa de Temer pediu a suspeição de Janot ao STF; Presidência diz que reunião visava discutir cerimônia de posse

Rodrigo Janot deixa chefia do Ministério Público Federal no dia 17 de setembro; Raquel Dodge assumirá PGR
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 25.7.17
Rodrigo Janot deixa chefia do Ministério Público Federal no dia 17 de setembro; Raquel Dodge assumirá PGR

Meses após o polêmico encontro com o empresário Joesley Batista no Palácio do Jaburu, o presidente Michel Temer voltou a figurar no noticiário devido a uma reunião a altas horas da noite longe dos registros de sua agenda oficial. O peemedebista desta vez recebeu Raquel Dodge, sua indicada para a Procuradoria-Geral da República (PGR), por volta das 22h dessa terça-feira (8).

O encontro com Raquel Dodge no Palácio do Jaburu ocorreu horas após a defesa do presidente levar ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin um pedido de suspeição do atual chefe da PGR, Rodrigo Janot . O advogado de Temer sugeriu no pedido que Janot tem "motivação pessoal" e "incontido desejo de imputar crimes" contra o presidente.

A assessoria de imprensa da Presidência da República negou que a reunião com Raquel tivesse qualquer relação com as críticas de Temer à atuação de Janot. Segundo o Planalto, o encontro dessa segunda-feira se deu a pedido da própria procuradora e teve como objetivo discutir detalhes sobre a posse de Raquel na PGR .

Foi decidido entre os dois que a posse será realizada no dia 18 de setembro, portanto um dia após o fim do mandato de Rodrigo Janot como procurador-geral da República. A cerimônia deve ocorrer no Palácio do Planalto no período da manhã, uma vez que Temer deve embarcar no mesmo dia em viagem aos Estados Unidos.

Raquel Dodge e outro encontro sem registro na agenda de Temer

A sucessora de Janot foi indicada por Temer no fim de junho. Raquel era a segunda da lista tríplice eleita pelos integrantes do Ministério Público Federal e despontou como 'rival' de Janot, responsável por denunciar Temer ao STF por corrupção passiva. 

Horas antes de indicar a procuradora para o cargo, Temer foi recebido em jantar oferecido pelo ministro do Supremo Gilmar Mendes , em compromisso que não foi registrado nem na agenda oficial do peemedebista e nem na do magistrado. O encontro contou ainda com a presença do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o ministro da Secretaria de Governo, Moreira Franco.

Anfitrião daquele encontro, Gilmar Mendes também decidiu assumir nesta semana artilharia pesada contra Rodrigo Janot . O ministro do STF disse em entrevista concedida na segunda-feira (7) que o procurador é o "mais desqualificado" que passou pelo cargo.

Há a expectativa de que, antes de deixar o posto para Raquel Dodge, Janot ainda ofereça nova denúncia contra o presidente Michel Temer com base em informações prestadas por delatores do grupo JBS.

Leia também: Defesa ataca pedido de Janot para incluir Temer em inquérito contra PMDB no STF


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.