Segundo a pasta, repasse será utilizado para ampliar atendimento de atenção básica e na urgência e emergência; parte da verba será para frota do Samu

Ministro Ricardo Barros é pai da deputada estadual Maria Victória Barros e marido da vice-governadora Cida Borghetti
Reprodução/Facebook
Ministro Ricardo Barros é pai da deputada estadual Maria Victória Barros e marido da vice-governadora Cida Borghetti

Marido da vice-governadora do Paraná, o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), anunciou nesta segunda-feira (17) a liberação de R$ 42,5 milhões para ampliar o atendimento na atenção básica e na urgência e emergência no Estado. Os recursos foram levantados por meio de ações de gestão que geraram economia aos cofres públicos, como a redução de contratos e convênios da pasta.

Leia também: Janot diz não ter pressa para apresentar nova denúncia contra Michel Temer

“Nós queremos continuar financiando a saúde e fazemos isso a partir da economia de R$ 3,5 bilhões que já realizamos neste primeiro ano de gestão com economia em contratos e compra de medicamentos”, afirmou o ministro, durante cerimônia em Curitiba. Barros é marido de Cida Borghetti (PP), atual vice-governadora do Paraná. O governador do Estado é o tucano Beto Richa.

De acordo com o ministério, a atenção básica vai receber R$ 23,5 milhões para assegurar o custeio de 348 agentes comunitários de saúde, 99 novas equipes de Saúde da Família, 78 novas equipes de Saúde Bucal, 29 Núcleos de Apoio à Saúde da Família e duas novas equipes de Saúde Prisional em 88 municípios paranaenses.

Outros R$ 19 milhões serão destinados à renovação e ampliação da frota do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). O Ministério da Saúde pretende entregar 106 ambulâncias, das quais 62 devem substituir veículos com mais de cinco anos de uso.

Leia também: Emenda criada por petista visa impedir prisão de candidatos em ano de eleição

Durante o anúncio da verba, Barros ressaltou que vai cobrar a presença dos médicos nas unidades de saúde básica. “Oitenta por cento dos problemas de saúde podem ser resolvidos na atenção básica, mas a estrutura tem que estar disponível para a população. Como vamos cobrar a presença dos médicos nas quatro horas da jornada de trabalho para a qual eles fizeram concurso, também precisamos remunerá-los melhor”, disse o ministro.

Histórico

O ministro da Saúde é formado em Engenharia Civil e, entre 1989 e 1993, foi prefeito da cidade de Maringá, localizada no interior do Paraná . Foi secretário estadual da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul durante o primeiro mandato de Beto Richa.

Leia também: Temer liberou R$ 15,3 bilhões antes da votação de denúncia na CCJ

Além de marido da vice-governadora, Ricardo Barros é pai da deputada estadual Maria Victoria Barros (PP), que integra a base aliada de Beto Richa no Estado. O irmão do ministro, Silvio Barros, também foi prefeito de Maringá.


* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.