Movimentos sociais marcam ato em defesa de Lula em vários estados

Além de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, frentes sociais convocam população de outros estados para ir às ruas no dia 20 de julho
Foto: Ricardo Stuckert - 10.5.17
Atos pró-Lula acontecerão em vários estados no dia 20, e contarão com apoio de movimentos sociais e centrais sindicais

Na próxima quinta-feira (20), militantes em solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverão ir às ruas para reivindicar a sentença declarada pelo juiz federal Sérgio Moro na última quarta-feira (12), que condena o petista a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Leia também: Um dia após condenação, Lula garante estar dentro da corrida eleitoral de 2018

Movimentos sociais já estão convocando atos em todo o Brasil. Em São Paulo, a concentração será na Avenida Paulista, às 17h. Organizados pelas frentes Brasil Popular e pelo Partido dos Trabalhadores, a data será batizada de Dia de Mobilização em Defesa da Democracia, do Lula, por fora Temer e pelas Diretas Já. 

Ao incentivar a população a participar, o vice-presidente do partido, Márcio Macêdo, classificou as ações como sendo “contra a criminalização do maior líder popular da história do Brasil”.

A mobilização também contará com o apoio de centrais sindicais como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). O PCdoB também irá colaborar.

O protesto foi definido após uma reunião realizada na última quinta-feira (13), um dia após Lula ter sido condenado por Moro, juiz da 13º Vara Federal de Curitiba, conforme declarou Macêdo.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, também falou sobre a importância da convocação, antes do pronunciamento oficial feito por Lula, na quinta-feira. “Moro não proferiu sentença. Sentença é para juiz. O que o Moro determinou foi uma tentativa de cassação política do direito de Lula de concorrer à Presidência da República”, ressaltou.

Leia também: Lula volta a atacar Lava Jato: "Se provarem algo, peço desculpas e fico quieto"

Vargas ainda afirmou que as eleições só têm legitimidade com a participação de Lula, “senão é uma farsa”.

O coordenador nacional do MTST, Guilherme Boulos, que fez duras críticas à condenação de Moro e ao atual governo em suas redes sociais, postou em seu Twitter que não há nenhum prova para tal sentença.

“E mais do que isso, não dá para aceitar essa sentença porque ela é evidentemente um atalho político para tirar Lula da disputa eleitoral. É tapetão. Por isso o MTST é solidário ao presidente Lula e vamos ajudar a construir uma grande mobilização nacional no próximo dia 20”, declarou.

O vice-presidente do PT ainda afirmou que essa será a primeira das muitas atividades que serão feitas pelo partido com o apoio de juristas, artistas, juventude e outros setores da sociedade em todos os estados.

Confira onde ocorrerão os atos confirmados até o momento para o dia 20 de julho:

  • Ceará – Concentração marcada para às 16h, na Praça da Bandeira, em Fortaleza.
  • São Paulo - Passeata sairá às 17h, da Avenida Paulista, na capital.
  • Rio de Janeiro – Militantes irão se reunir na Cinelândia, na capital carioca.
  • Distrito Federal – Encontro está marcado para a partir das 17h, na Praça dos Três Poderes, em Brasília.
  • Santa Catarina – Reunião será ao redor da Catedral Florianópolis, às 16h, em Florianópolis.
  • Minas Gerais – Concentração será às 15h30, em frente ao prédio da Justiça Federal, em Belo Horizonte.
  • Bahia – Ato a favor de Lula terá início às 15h, em Campo Grande, em Salvador.

Leia também: Moro decide não mandar prender Lula para evitar "certos traumas"

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-07-15/ato-lula.html