Deputado Sergio Zveiter, que sugere admissibilidade da acusação da PGR contra o presidente da República, defendeu autonomia do Poder Legislativo

Relator da denúncia contra Michel Temer, Sérgio Zveiter defendeu autonomia do Poder Legislativo
Marcelo Camargo/Agência Brasil -13.7.2017
Relator da denúncia contra Michel Temer, Sérgio Zveiter defendeu autonomia do Poder Legislativo

O relator da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara, deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), fez críticas nesta quinta-feira (13) contras as manobras feitas pela base aliada do governo para tentar derrotar o parecer apresentado por ele no início da semana na CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) da Casa, que recomenda pela aceitação da acusação.

Leia também: CCJ retoma sessão para debater denúncia de corrupção contra Temer

O relator apresentou voto favorável ao prosseguimento no STF (Supremo Tribunal Federal) da acusação apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República) contra Temer pelo crime de corrupção passiva. Seu relatório deverá passar por votação ainda hoje e, em caso de derrota, será substituído por outro contra a admissibilidade da denúncia.

A manifestação de Zveiter foi feita logo depois de encerrados os debates na CCJ. Em 20 minutos, fez declarações de maneira enfática e reafirmou seus argumentos a favor da autorização para que o STF investigue a denúncia.  Ele reiterou, em boa parte do discurso, que a denúncia da PGR apresenta indícios “seríssimos” contra o presidente e que, por isso, deveria ser investigada para esclarecimento dos fatos à sociedade.

A principal crítica de Zveiter foi contra a estratégia do governo de trocar pelo menos 20 membros na CCJ para garantir que haja maioria de votos pela rejeição do parecer. “A derrota que se afigura hoje aqui é uma derrota que foi montada artificialmente. Uma derrota aqui não vai ser do parecer, vai ser a derrota do povo brasileiro que quer uma política limpa, honesta, correta, que repudia que deputados eleitos livremente pelo voto se submetam as manobras de oferecimento de emendas parlamentares e cargos”, declarou.

Leia também: Um dia após condenação, Lula garante estar dentro da corrida eleitoral de 2018

O deputado defendeu a autonomia do Poder Legislativo e afirmou que governo não deveria usar dinheiro público, em referência às emendas parlamentares, para comprar o voto dos deputados.

Ofensas

Em tom exaltado, Zveiter afirmou que se sentiu ofendido com as declarações feitas pelo deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) durante os debates. Ao criticar o mérito do parecer, Perondi teria insinuado que Zveiter estaria fazendo apologia ao nazismo. "Tamanho absurdo não pode ser permitido no Estado Democrático de Direito, que garante a liberdade religiosa e proíbe terminantemente a prática do racismo”, respondeu o parlamentar.

Leia também: Governo muda estratégia e aceita votar denúncia contra Temer só em agosto

Após a manifestação do relator e da defesa de Temer , foi determinado um intervalo. A votação deve começar por volta das 15h40.


* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.