“Não traz qualquer satisfação pessoal”, afirma Moro em sentença de Lula

O juiz federal condenou o ex-presidente a nove anos e seis meses nesta quarta-feira (12); na sentença afirmou que é a condenação é "lamentável"
Foto: iG Arte
Sérgio Moro condenou o ex-presidente a mais de nove anos por caso tríplex nesta quarta

O juiz federal Sérgio Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a  9 anos e seis meses de prisão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro nesta quarta-feira (12), na ação que envolve a compra de um tríplex no Guarujá. Na sentença, que tem mais de 230 páginas, o juiz destacou que a “presente condenação não traz a este julgador qualquer satisfação pessoal, pelo contrário”.

Moro ainda escreve que é “lamentável que um ex-presidente seja condenado criminalmente”. "É de todo lamentável que um ex-Presidente da República seja condenado criminalmente, mas a causa disso são os crimes por ele praticados e a culpa não é da regular aplicação da lei. Revalece, enfim, o ditado "não importa o quão alto você esteja, a lei ainda está acima de você" (uma adaptação livre de "be you never so high the law is above you").

O magistrado da 13ª Vara Federal de Curitiba determinou que Lula  poderá recorrer da sentença em liberdade. O magistrado chegou a escrever em sua decisão que "caberia cogitar a decretação da prisão preventiva", mas a "prudência recomenda que se aguarde o julgamento", pois a prisão de um ex-presidente envolveria "certos traumas".

Leia também: Bovespa reage após Moro condenar Lula a nove anos de prisão; entenda

Sérgio Moro apontou "relação espúria" entre Lula e a empreiteira OAS no esquema envolvendo a compra do apartamento 164-A do Condomínio Solaris e disse que os crimes investigados nesse episódio culminaram no repasse de R$ 16 milhões ao Partido dos Trabalhadores. 

"O condenado recebeu vantagem indevida em decorrência do cargo de presidente da República, ou seja, de mandatário maior. A responsabilidade de um presidente da República é enorme e, por conseguinte, também a sua culpabilidade quando pratica crimes. Isso sem olvidar que o crime se insere em um contexto mais amplo, de um esquema de corrupção sistêmica na Petrobras e de uma relação espúria entre ele o Grupo OAS", escreveu o magistrado na sentença.

O juiz federal também criticou a postura adotada pelo ex-presidente, alegando que Lula adotou "condutas inapropriadas" e "tentou intimidar a Justiça".

 Veja a sentença completa aqui:




Não é a primeira vez

Esta não foi a primeira vez que o juiz falou sobrepossíveis "problemas pessoais" em relação ao petista. Há dois meses, na ocorrência de um depoimento do ex-presidente sobre o caso do tríplex, Moro negou ter qualquer problema pessoal com Lula e também negou que o petista poderia ser preso na audiência.



Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-07-12/moro-lula-condenacao-satisfacao.html