Após gafe racista de ministro, Joaquim Barbosa cogita candidatura em 2018

Ex-ministro do STF passou por situação constrangedora, em evento em sua homenagem, quando foi chamado de "negro de primeira linha" por ministro
Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF - 1.7.2014
Joaquim Barbosa defende as eleições diretas e considera a possibilidade de ser candidato à Presidência do País

O nome do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa amanheceu figurando entre os assuntos mais comentados nas redes sociais. O motivo foi duplo: uma gafe preconceituosa contra ele e uma declaração dada por ele.

Leia também: Virtual candidato em 2018, Joaquim Barbosa diz o que pensa sobre Gilmar Mendes

Ambas as situações aconteceram nesta quarta-feira (8), durante uma cerimônia de aposição do retrato de Joaquim Barbosa na galeria de ex-presidentes da Corte.

Na ocasião, Barbosa defendeu as eleições diretas e disse aos jornalistas que não descarta concorrer à presidência da República, caso o peemedebista Michel Temer tenha o seu mandato cassado.

"É uma decisão que cabe a mim, só que sou muito hesitante em relação a isso", afirmou. "Hoje eu tenho a meu favor a desvinculação com a função pública há três anos, o distanciamento necessário da função jurisdicional", ressaltou.

Barbosa chegou a afirmar também que conversou no ano passado com Marina Silva, da Rede, e mais recentemente com a direção nacional do PSB. Porém, afirmou que os diálogos foram genéricos e que não há "nada concreto em termos de oferta de legenda para candidatura"

Leia também: Ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa defende a renúncia 'imediata' de Temer

Em seguida, Barbosa chegou a criticar a falta de "gente séria" na política do País.

"A falta dessa liderança política, de pessoas com desapego, realmente vinculadas ao interesse público, faz com que o país vá se desintegrando aos poucos. É o que está ocorrendo no Brasil por falta de lideranças políticas. Falta gente séria à frente dos assuntos de Estado", declarou.

As declarações foram divulgadas pelo jornal O Globo .

"Negro de primeira linha"

Ainda nesse mesmo evento, o ex-ministro do STF passou por uma situação constrangedora. Isso porque o ministro Luís Roberto Barroso, em uma tentativa fracassada de elogiar o homenageado, cometeu uma gafe, chamando-o de "negro de primeira linha".

"A universidade (Uerj) teve o prazer e a honra de receber um professor negro, um negro de primeira linha vindo de um doutorado de Paris", disse Barroso, em trecho do discurso sobre a trajetória de Barbosa.

A expressão virou motivo de piada entre militantes da causa negra que estavam presentes à cerimônia. Em tom de brincadeira, mas também de reprovação, eles diziam que se o ex-presidente da Corte era de "primeira linha", eles seriam de quarta, quinta ou mais.

Leia também: Ministros devem votar hoje no julgamento da chapa Dilma-Temer; assista ao vivo

Ainda segundo o jornal, Joaquim Barbosa não quis se declarar a respeito da declaração constrangedora e de tom preconceituoso.

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-06-08/joaquim-barbosa.html