Tamanho do texto

Além do ex-presidente, outras 12 pessoas são alvos de nova denúncia; a força-tarefa de procuradores acusa petista de comandar esquema na Petrobras em troca de "obras e benfeitorias" em sítio frequentado por ele

Documento da Polícia Federal mostra fotos de Lula com engenheiro Paulo Gordilho em churrasco
REPRODUÇÃO/POLÍCIA FEDERAL
Documento da Polícia Federal mostra fotos de Lula com engenheiro Paulo Gordilho em churrasco "na fazenda de Lula"

A força-tarefa de procuradores que atuam na Operação Lava Jato entregou à Justiça Federal nesta segunda-feira (22) nova denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva . O Ministério Público Federal acusa o petista de ter cometido crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em episódios envolvendo o sítio Santa Bárbara, em Atibaia, no interior de São Paulo.

Leia também: Justiça mantém ação contra Lula por suposto esquema na compra de caças suecos

Além de Lula, também foram denunciados pelos procuradores da Lava Jato outras 12 pessoas, entre elas os empreiteiros Léo Pinheiro (OAS), Emílio Odebrecht e seu filho, Marcelo Bahia Odebrecht, o pecuarista José Carlos Bumlai, o advogado Roberto Teixeira e Fernando Bittar, que é o dono oficial do sítio de Atibaia.

Em documento de 168 páginas, a força-trefa coordenada pelo procurador Deltan Dallagnol argumenta que houve desvio de mais de R$ 128 milhões naquilo que é classificado como "estrondoso esquema criminoso capitaneado por Lula".

O MPF alega que o ex-presidente foi responsável por "estruturar, orientar e comandar esquema ilícito" e por meio dessa estrutura "receber propina para o seu benefício próprio consistente em obras e benfeitorias relativas ao sítio de Atibaia custeadas ocultamente pelas empresas Schahin, Odebrecht e OAS".

Segundo o esquema descrito na denúncia, o ex-presidente Lula teria, entre 2010 e 2011, dissimulado e ocultado a origem de R$ 150 mil por meio de 23 repasses a José Carlos Bumlai, Fernando Bittar e Rogério Pimentel. Esse recurso seria "proveniente de crimes de gestão fraudulenta, fraude a licitação e corrupção no contexto da contratação para a operação da sonda Vitória 10.000 da Schahin pela Petrobras". Os R$ 150 mil teriam sido posteriormente empregados em reformas no sítio de Atibaia.

Leia também: Temer usa operação que ainda não tinha ocorrido ao justificar visita de Joesley

Lula réu

A defesa do ex-presidente Lula não se manifestou até o momento sobre a nova denúncia. O petista já é réu em cinco ações penais da Lava Jato: duas em Curitiba, sendo uma sobre o tríplex no Guarujá e outra sobre a compra da sede para o Instituto Lula, em São Paulo; e três em Brasília: por suposta tentativa de obstruir investigações, por contratos da Odebrecht na Angola e por tráfico de influência envolvendo a compra de caças suíços.

Confira a íntegra da denúncia contra Lula e mais 12:


    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.