Tamanho do texto

Essa será a primeira vez que Lula e Moro ficarão cara a cara pela Lava Jato; PM monitora atividade de manifestantes favoráveis e contrários ao petista

Lula e Moro ficarão cara a cara pela primeira vez no interrogatório, marcado para a próxima quarta-feira (10)
iG Arte
Lula e Moro ficarão cara a cara pela primeira vez no interrogatório, marcado para a próxima quarta-feira (10)

A capital do Paraná já começou a se preparar para o interrogatório de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está marcado para acontecer na próxima quarta-feira (10). Para garantir que o depoimento aconteça sem nenhum problema, a Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp) elaborou um plano especial de segurança.

Leia também: Disposto a colaborar, Renato Duque depõe hoje; Lula vê "pressa" por delações

O plano também tem como objetivo evitar confrontos entre manifestantes favoráveis e contrários a Lula . Essa será a primeira vez que o ex-presidente e o juiz federal Sérgio Moro vão ficar cara a cara no processo da Operação Lava Jato.

Será colocado um bloqueio de um raio de 150 metros a partir do prédio onde acontecerá o interrogatório e só moradores e jornalistas credenciados poderão ultrapassá-lo. As ruas nos arredores serão monitoradas pela Polícia Militar e o prédio da Justiça Federal estará sob vigilância da Polícia Federal.

A Direção do Foro optou por suspender prazos processuais e o atendimento ao público no dia do interrogatório. Além disso, o acesso de magistrados, servidores, estagiários e terceirizados não será permitido, conforme decisão da diretora do Foro e juíza federal, Gisele Lemke.

Leia também: Tribunal derruba decisão de Moro e dispensa Lula de comparecer a 87 depoimentos

“O acesso ao edifício Manoel de Oliveira Franco Sobrinho (sede Cabral) somente será permitido às pessoas envolvidas com a realização e o apoio da audiência, devidamente autorizadas pela Direção do Foro, conforme lista a ser encaminhada à Polícia Militar do Estado do Paraná”, diz a deliberação.

Manifestações

Segundo a Polícia Militar, grupos de opiniões divergentes se movimentam para a capital, mas ainda não foi confirmado o número de ônibus com destino a Curitiba. Os grupos vão ocupar regiões diferentes da cidade.

De acordo com o secretário do Sesp, Wagner Mesquita, manifestantes favoráveis ao petista se concentrarão na rua XV de novembro, enquanto os contrários ficarão a aproximadamente três quilômetros, no Centro Cívico da cidade.

Leia também: Amigo de Lula pede que Moro devolva presente confiscado pela Lava Jato

“Nosso objetivo como órgão de Segurança Pública é garantir a livre manifestação democrática e pacífica. Por conta disso, estamos mantendo diálogo com todas as entidades e solicitando cronograma e programação para ajustar a utilização do nosso efetivo”, afirmou Mesquita.

Nesse processo da Lava Jato, Lula é réu por supostamente receber propina da empreiteira OAS através da reforma de dois imóveis: um tríplex no Guarujá e um sítio em Atibaia, ambos em São Paulo. A defesa do ex-presidente afirma que ele não é dono de nenhuma das residências.

* Com informações de Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.