Moro aceita pedido da PF e adia depoimento de Lula para o dia 10 de maio

Alteração foi justificada por questão de segurança; segundo a PF e o governo do Paraná, um depoimento no dia 3, próximo ao Dia do Trabalhador, poderia coincidir com um amplo deslocamento de movimentos populares à Curitiba
Foto: iG Arte
Audiência marcará a primeira vez que Lula será ouvido por Sérgio Moro presencialmente, na sede da Justiça Federal

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato na primeira instância, confirmou, nesta quarta-feira (26), a alteração da data do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na ação penal da qual o petista é réu. A audiência, que estava marcada para o dia 3 de maio, foi adiada para o dia 10 do mesmo mês.

A alteração da data havia sido solicitada na última segunda-feira (24) pela Polícia Federal e adiantada pela imprensa na mesma data . Porém, somente nesta quarta, Sérgio Moro confirmou oficialmente a informação.

No requerimento enviado à Justiça Federal, o superintendente regional da PF no Paraná, Rosalvo Ferreira Franco, pediu "mais tempo para realizar as tratativas com os órgãos de segurança e de inteligência para a audiência que será realizada".

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná também havia enviado a Moro um requerimento com solicitação semelhante.

Proximidade com o Dia do Trabalhador

O secretário responsável pela pasta, Wagner Mesquita de Oliveira, pediu que a oitiva de Lula fosse remarcada "tendo em vista notícias de possível deslocamento de movimentos populares para esta capital paranaense em virtude da semana de comemoração do Dia do Trabalhador (1º de maio), o que pode gerar problemas de segurança pública, institucional e pessoal".

Leia também: Moro exige que Lula acompanhe depoimentos de 87 testemunhas

No despacho publicado nesta quarta, Moro reconheceu a possibilidade de que "ocorram manifestações favoráreis ou contrárias ao acusado em questão, já que se trata de uma personalidade política, líder de partido e ex-Presidente da República". O juiz ressaltou ainda que tais manifestações são permitidas, desde que pacíficas.

"Havendo, o que não se espera, violência, deve ser controlada e apuradas as responsabilidades, inclusive de eventuais incitadores", diz o texto. Em seguida, o juiz confirmou a alteração do interrogatório de Lula para o dia 10 de maio, "considerando que as forças de segurança pleitearam tempo adicional para os preparativos necessários".

Leia também: "Duvido que tenha um empresário que possa dizer que pedi cinco centavos", diz Lula

Esta audiência marcará a primeira vez que o ex-presidente será ouvido por Sérgio Moro presencialmente, na sede da Justiça Federal do Paraná, em Curitiba.

* Com informações da Agência Brasil.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-04-26/lula-moro.html