Em entrevista a um canal espanhol de televisão, presidente evitou falar sobre delações premiadas e afirmou que o juiz Sérgio Moro "cumpre seu papel"

Durante entrevista ao canal espanhol, Michel Temer destacou as relações comerciais entre o Brasil e a Espanha
Reprodução
Durante entrevista ao canal espanhol, Michel Temer destacou as relações comerciais entre o Brasil e a Espanha

Em entrevista ao canal espanhol de televisão “ TVE ” publicada neste sábado (22), o presidente Michel Temer (PMDB) afirmou que os casos de corrupção investigados pela força-tarefa da Operação Lava Jato não irão paralisar as ações do governo federal.

No dia 11, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou a abertura de inquéritos contra nove ministros do governo Michel Temer , além de 29 senadores, 42 deputados federais e três governadores. A lista foi elaborada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com base em depoimentos feitos por 78 pessoas ligadas ao alto escalão da empreiteira Odebrecht, que assinaram acordos de delação premiada.

O próprio Temer é citado em dois pedidos de abertura de inquérito. Entretanto, ele não foi incluído na lista por causa da imunidade temporária em razão de ele ser o presidente da República. Assim, não pode responder na Justiça por fatos ocorridos antes de seu mandato no Palácio do Planalto.

“O Brasil não para. Portanto, não será a corrupção que poderá paralisar o País”, assegurou o presidente à televisão espanhola. O chefe do Executivo nacional considerou ser “triste” o fato de os nove ministros terem tido inquéritos abertos. “Em relação às investigações, tem que se esperar que o Judiciário condene ou absolva pessoas”, comentou.

Leia também: Odebrecht repassou R$ 37 milhões em caixa 2 às campanhas do PT, PSDB e PSC

O presidente evitou fazer comentários sobre os acordos de delação premiada. “Qualquer consideração negativa que eu faça sobre a delação será prejudicial, pois pode importar na ideia de que se quer acabar a Lava Jato .”

Sobre a atuação do juiz Sérgio Moro , da 13ª Vara Federal de Curitiba, Temer afirmou apenas que o magistrado “cumpre seu papel como membro do Judiciário, como devem fazer todos aqueles que integram o Judiciário”.

Relações com a Espanha

Também neste sábado, o presidente publicou um artigo no jornal “ El País ” no qual destacou as relações comerciais entre Brasil e Espanha e elogiou a visita do presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, programada para a próxima segunda-feira (24). “Será a primeira visita de caráter bilateral de um Chefe de Governo espanhol ao Brasil em nove anos. O Primeiro-ministro Rajoy irá encontrar um Brasil em transformação. Um Brasil que enfrenta seus desafios com seriedade e com energia. Que reencontra o horizonte da justiça e da prosperidade”, disse o peemedebista.

Leia também: Brasil não é um "paiseco", diz Temer em discurso a diplomatas

Michel Temer comentou sobre a reforma da Previdência e o ajuste fiscal e garante que a economia do País já dá sinais de melhora. “As decisões que estamos tomando são essenciais para a recuperação da economia, para a recuperação do emprego. São cruciais para o resgate da capacidade do Estado de custear políticas sociais indispensáveis, de combater a pobreza. Os primeiros resultados de nossa agenda de reformas já começam a aparecer. A inflação – que havia chegado a níveis preocupantes – diminuiu e já está sob controle. Tornamos possível a tendência consistente da queda da taxa de juros. A produção industrial dá sinais de recuperação. As exportações adquirem nova força. As previsões para 2017 são de crescimento da economia brasileira. A confiança voltou”, assegura.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.